No UniBH, os alunos têm a oportunidade de romper as fronteiras das salas de aula e ampliar a relação ensino/aprendizagem por meio das atividades desenvolvidas nos Projetos de Extensão. Esse processo possibilita o trânsito entre o conhecimento teórico, desenvolvido no âmbito acadêmico, e a prática, desenvolvida na sociedade.

Como processo acadêmico, as ações de extensão são indispensáveis à formação acadêmica e cidadã do aluno e à qualificação do professor, na medida em que contextualizam os saberes acadêmicos e estimulam uma prática integradora, inter e multidisciplinar, em sintonia e compromissada com novos conhecimentos e com a realidade da demanda social.

Os vários cursos de graduação, graduação tecnológica e licenciatura do Centro Universitário de Belo Horizonte desenvolvem, em diversas áreas do conhecimento, ações de cunho educativo, social, cultural, científico e tecnológico, em atividades de orientação, atendimento, informação, socialização de conhecimentos, capacitação e sensibilização quanto às temáticas relevantes em nossa sociedade.

As ações de extensão propiciam a possibilidade de trabalhar em rede com outras instituições, fortalecendo junto a elas a atuação do UniBH ao somar esforços, integrar e propiciar a interação com a sociedade.

Em articulação com políticas públicas, movimentos sociais, setores produtivos ou atendendo a demandas da comunidade, e por meio de programas, projetos, prestações de serviço, cursos e oficinas, eventos acadêmicos, esportivos e culturais, publicações e outros produtos acadêmicos, as atividades de extensão norteiam-se pelo desenvolvimento de uma proposta educacional inovadora, pela formação do comportamento ético e cidadão e pela democratização da ciência, da cultura e da tecnologia.

Inscreva-se

Encontre seu projeto

Após a Revolução industrial e o início da produção industrial, a procura de novas fontes energéticas eficientes se tornou algo constante. No século XX, iniciou a busca por fontes menos agressivas, sendo a energia solar uma delas, tendo com maior destaque o sistema fotovoltaico. Composto por células solares ou fotovoltaicas, esse sistema realiza a conversão da energia da luz do sol diretamente em energia elétrica, graças ao efeito fotovoltaico que dá nome ao sistema. O presente projeto se baseia na terceira geração de células fotovoltaicas, capazes de ultrapassar o limite termodinâmico de ShockleyQueisser e nas novas pesquisas que vêm demonstrando o potencial de novos materiais aplicados as células solares, apresentando os compostos reutilizados de pilhas não alcalinas. Portanto, este trabalho visa utilizar compostos presentes em pilhas não alcalinas como um dos materiais para a fabricação de células fotovoltaicas, almejando a redução de custos possibilitando a produção em escala industrial de tais componentes, ao mesmo tempo que se busca sensibilizar a sociedade em relação ao descarte adequado de materiais como pilhas e baterias. Ainda nesta vertente, o projeto tem por objetivos específicos a seleção dos principais fatores que possam afetar a síntese dos filmes finos, a produção de filmes fotossensíveis – planejamento dos experimentos, caracterização das propriedades elementares, físicas, químicas e estruturais das células bem como comparações de dados obtidos com os disponíveis na literatura.


Professor: Douglas Henrique Queiroz de Carvalho
Instituição: UniBH

O Simpósio de Oncologia, promovido pela Liga Acadêmica de Oncologia do UniBH (LIACO), acontece no dia 17 de abril, das 19 às 21:h45h, no auditório do Prédio 2, do Carandá, do Campus Buritis.

 

Confira abaixo a programação:

 

19h às19h25 – credenciamento

19h25 às 19h55 – Prof Daniela Afonso – Genética do Câncer

19h55 às 20h25 – Dr Alberto Wainstein – Princípios, limites e futuro da cirurgia oncológica na atenção ao câncer.

20h25 às 20h45 – Coffee Break

20h45 às 21h15 – Dra Karla Rodrigues – Oncologia pediátrica

21h:15 às 21h45 – Dr André Murad – Epidemiologia e prevenção do câncer

 

Além disso, os alunos matriculados em Genética que participarem do simpósio ganharão 1 ponto extra na disciplina e 1 ponto extra na prova de seleção da LIACO 2018/2º semestre.

 

 

As inscrições podem ser feitas aqui.  O pagamento da taxa de R$10,00, para os seguintes representantes:

 

Gabriella Oliveira – 7º período: (31)  999582990

Fernanda Campos – 6ºperíodo: (31)  99818 6438

Isabela Boa Morte – 6º período: (73) 99975 9000

Roberta Madureira – 12º período: (31) 99851-7862

 

 

Mais informações acesse: instagram @liacounibh e o facebook @LIACOUNIBH.


O Banco de Consultores faz parte dos projetos de extensão do UniBH desde 2010. Ele foi construído construir um diálogo entre os alunos de RI e a Sociedade. Pretende-se o quadro da Internacionalização do M.Voluntários. Além o suporte ao desenvolvimento do projeto de cooperação entre UniBH-UNVolunteer no marco da agenda 2030 do PNUD. O Banco ainda desenvolve o relacionamento de carreiras, junto às esferas público-privadas internacionais de BH, e o diálogo com o ensino médio da RMBH pelo Observatório do Cidadão Global, voltado à discussão acerca da cidadania global.


Professor: Pedro Henrique Neves de Carvalho
Instituição: UniBH

As parasitoses são muito prevalentes, ainda hoje, e podem interferir negativamente no pleno desenvolvimento infantil. Este projeto transdisciplinar visa educar comunidades carentes, de BH e do Jequitinhonha, com o objetivo de reduzir a ocorrência dessas doenças por meio de atividades desenvolvidas por estudantes dos cursos da Saúde do UNIBH. Os estudantes terão oportunidade trocar experiências e de aplicar, na prática, os conhecimentos adquiridos em sala de aula, através do desenvolvimento do plano de trabalho que engloba atividades de educação em saúde, diagnóstico e encaminhamento para o tratamento.


Professor: Adriana Coelho Soares
Instituição: UniBH

A cidade de Comercinho faz parte do Vale do Jequitinhonha, com população estimada em 8298 pessoas em 2015, apresenta elevado índice de pobreza, desnutrição, falta de auxílio a doenças e informações em saúde. Ações de educação em saúde serão planejadas por acadêmicos e professores envolvidos, ao longo de 3 a 4 meses. Serão ministradas palestras e oficinas sobre: importância da qualidade da água para a saúde humana, bem como oficina de montagem de cloradores , que serão montados nas residências, onde os moradores serão qualificados a fazerem o tratamento da água.


Professor: Wander de Jesus Jeremias
Instituição: UniBH

A baixa acuidade visual em crianças se dá por diversos fatores, principalmente devido problemas refracionais, tais como a hipermetropia, a miopia e o astigmatismo. O objetivo do projeto de extensão “Enxergando o Futuro” é ir até escolas públicas e realizar uma triagem oftalmológica, que selecione crianças com baixa acuidade visual. As crianças que demonstrem baixa visão são encaminhadas ao ambulatório do UniBH, onde serão submetidas a um exame oftalmológico completo.


Professor: Geraldo de Barros Ribeiro
Instituição: UniBH

Mídia Cidadã é um projeto do curso de Jornalismo, criado em 2003, que visa a produção de veículos de comunicação para instituições do terceiro setor e escolas públicas. Para além da formação de uma consciência crítica e um espaço para produção de textos por parte dos jovens inseridos em programas de ONGs/OSCIPs e das escolas públicas atendidas e a divulgação das matérias em veículos de comunicação, o projeto visa a uma vivência das rotinas produtivas do Jornalismo por parte dos estudantes do curso envolvidos nas atividades extensionistas.


Professor: Virgínia Borges Palmerston
Instituição: UniBH

Este projeto apresenta uma proposta para cultivo de plantas hortaliças e medicinais em locais convencionais (canteiros direto no chão) e não convencionais (pequenos e grandes recipientes de plástico, papelão, caixas de ovo, caixotes de madeira, bombonas de plástico, entre outros recipientes recicláveis) incentivando a pratica do cultivo orgânico e saudável de vegetais, e contribuindo assim com a melhoria da qualidade ambiental, da segurança alimentar, da saúde, do bem estar físico e mental da população de Belo Horizonte.


Professor: Juliana Batista de Souza
Instituição: UniBH

O Projeto de Extensão Direito Vivo está voltado à inserção do aluno em problemas sociais e jurídicos dos usuários do Centro de Referência Especializada em Assistência Social (CREAS).


Professor: Deborah Fialho Ribeiro Glória
Instituição: UniBH

O projeto objetiva o aproveitamento dos resíduos do processamento mínimo de vegetais na elaboração de produtos panificáveis. Para isto pretende-se adquirir os resíduos em indústrias de processamento mínimo e com estes produzir farinhas e fermentos para serem adicionadas em produtos de panificação. Contribui-se para a redução do descarte de resíduos nutritivos como cascas, talos entre outros, além de enriquecer os produtos elaborados.


Professor: Cristina Fantini Miranda
Instituição: UniBH

A produção de aves caipiras em Minas Gerais é fortalecida pela demanda dos consumidores que buscam a carne de frango e o ovo produzidos de uma forma mais saudável. Pequenos produtores sofrem com vários desafios, sendo esses relacionados na maioria das vezes com a falta de informação técnica. O projeto tem como objetivo interagir o acadêmico de Medicina Veterinária com os produtores rurais de aves caipiras visando com que os estudantes possam aplicar seus conhecimentos teóricos na prática, treinando esses produtores e os qualificando para essas atividades.


Professor: Bruno Antunes Soares
Instituição: UniBH

Objetiva-se com o presente projeto servir a sociedade dentro de uma concepção prática voltada para a minimização dos problemas de superpopulação de cães e gatos e a transmissão e manutenção de zoonoses à população humana da região metropolitana de Belo Horizonte, MG. Ademais, propõe compartilhar experiências e resultados na busca de uma unidade efetiva na prevenção e combate a estes problemas. Este projeto foi concebido e serve como referência no sentido de promover, através do controle populacional de animais, um equilíbrio entre a saúde pública e o bem estar animal, respeitando os critérios técnicos, os preceitos éticos e os princípios da moralidade e da eficiência.


Professor: Pablo Herthel de Carvalho
Instituição: UniBH

A atividade empreendedora, se resume em analisar modelos de organizações. Para o nosso meio acadêmico, nada mais é que, correlacionar a habilidades soft skills  e romper ou quebrar barreiras antes não vislumbradas pelo estudante de graduação tradicional. Ademais, práticas empreendedoras transpõem a esfera do intercambio situado na própria essência desta atividade. Transformar pessoas e revolucionar o planeta com práticas fomentadas pelo saber empreendedor sustentável é o nosso maior objetivo.

Tem-se também com propósito, definir parâmetros, conceituar, diferenciar e enaltecer a importância da visão de inovação para a existência do empreendedor, somado aos riscos atrelados à não observação destes conceitos. Atualmente, para se destacar no mercado cada vez mais competitivo é necessário obter um perfil de empreendedor. Para promover essa mudança em nossos estudantes, serão usadas ferramentas com: brainstorming, mapa de hipótese e empatia, cavas, questionários B2B e B2C, pitch, qualificação pessoal, elaboração de feiras e workshop, participação em inúmeros programas acadêmicos e de aceleração.

Os resultados obtidos, demostram excelência do método empregando desta ferramenta, sendo que apenas no ano de 2017, foram obtidos 15 prêmios, nos quais estão envolvidos aproximadamente 400 estudantes do UniBH de 7 curso distintos. Neste contexto, a proposta UniBH empreendendo realidade é uma revolução para nossa IES, consolidando um novo pilar acadêmico, firmando-se no pensamento de autores como Peter Drucker e Idalberto Chiavenato que defendem o empreendedorismo como atividade de enorme importância nas economias locais e mundiais, fazendo uma combinação de sucesso.


Professor: Magno André de Oliveira
Instituição: UniBH

O objetivo do projeto de extensão “Mineirão em revista – jornalismo esportivo como patrimônio cultural” é ampliar e qualificar o acesso da população a informações que promovam a contextualização do futebol como importante elemento da cultura brasileira e, ao mesmo tempo, promover a superação da tendência do jornalismo esportivo brasileiro de limitar a sua atuação à produção de resenhas esportivas. Desta maneira, percebe-se na proposta extensionista aqui exposta relação explícita e indissociável do ensino bem como aproximações com a dimensão da pesquisa, uma vez que permite estudados que visem a reconhecer o futebol como manifestação popular e patrimônio imaterial, sendo o próprio Mineirão um espaço de memória, produção e difusão cultural. A ação aqui proposta é da produção da Revista Mineirão, produto idealizado pelo consórcio Minas Arena, responsável pela gestão do Estádio do Mineirão. Transformada em ação extensionista do UniBH, espera-se que a Revista Mineirão possa contribuir com o fortalecimento da cultura brasileira e do próprio jornalismo esportivo.


Professor: Marcílio José Sabino Lana
Instituição: UniBH

Será criado um programa de extensão que visa à educação do produtor de leite para melhorar a saúde de seu rebanho, a qualidade do leite produzido e consequente aumentando a sua rentabilidade. A princípio, será realizado o contato presencial a seis propriedades rurais com caráter médio e pequeno de produção de leite, nas regiões sul e sudeste de Minas Gerais.

Com o objetivo de intervir de forma técnica, utilizando métodos para diagnosticar, estudar, acompanhar e propor melhorias para os produtores participantes do projeto. Após o consentimento do produtor serão aplicadas as metodologias discutidas e predeterminadas para o benefício e melhoramento da saúde, bem-estar e produção dos animais, que serão acompanhadas mensalmente pela coordenação e integrantes do projeto, para analisar o resultado e efeito das mudanças aplicadas.

É esperado como produto a resolução dos problemas que impedem o crescimento produtivo das propriedades, aumento na rentabilidade, melhorias no manejo, na produção e qualidade do leite, conhecimento dos produtores sobre seu rebanho, o controle de doenças e a promoção da saúde animal.


Professor: Camila Stefanie Fonseca de Oliveira
Instituição: UniBH

O presente projeto de extensão concretizará a parceria institucional envolvendo a UniBH e a DAHW Brasil para a produção de soluções sociais e técnicas para problemas produzidos pela hanseníase. A proposta é transformar a hanseníase em temática de reflexão, ação e mobilização por parte da comunidade acadêmica da UniBH que se reverberará nacional e internacionalmente, através da parceria com a DAHW Brasil, uma organização não-governamental alemã que atua diretamente no combate à hanseníase no Brasil há 60 anos e vê na UniBH um parceiro ideal para capitanear academicamente a produção desse engajamento na sociedade, especialmente voltado para os estudantes das áreas de saúde.


Professor: Bárbara Proença Nardi Assis
Instituição: UniBH

O município de Belo Horizonte e região metropolitana tem recebido diversos animais da fauna e parte desses animais são criados em cativeiros ou ambientes domésticos, sem receber uma alimentação, ambiência e manejo sanitário adequado. Em consonância a essa realidade, Belo Horizonte demanda profissionais especializados para essas atividades e acadêmicos de diversas áreas da saúde carecem de ações práticas de campo com esse público.

O objetivo da presente proposta é o desenvolvimento acadêmico dos discentes do UniBH com a realização de simpósios e cursos, tendo como objetivo complementar a grade curricular dos cursos de Medicina Veterinária, engenharia ambiental e ciências biológicas, por meio de palestras teóricas e práticas realizadas por docentes, parceiros e profissionais liberais, com emissão de certificado. Além disso, situações de campo como a presença de animais silvestres como macacos, roedores, répteis em zonas urbanas serão atendidos e acompanhados por exames clínicos no Hospital Veterinário do UniBH, e estudados quanto a questões ambientais para que possam ser fomentadas resolutivas voltadas ao meio ambiente que visam reduzir essa migração dos animais silvestres e os riscos de saúde destas espécies.

Como anseio do projeto, pretende-se alcançar o desenvolvimento regional promovendo palestras e cursos para a comunidade do entorno com o objetivo de conscientizar a população da região sobre assuntos relacionados a animais silvestres, conservação ambiental e sustentabilidade nos dias de Campus Aberto. Em paralelo, sabemos que uma parcela da população de Belo Horizonte, realiza a criação de animais pets exóticos, como calopsitas, minipigs, cobras e demais animais.

Essa população terá acesso ao projeto por meio dos atendimentos clínicos, cursos teórico-práticos de orientações básicas de manejo, realizados em  dias de Campus Aberto por alunos de Medicina Veterinária e Ciências Biológicas,  acompanhados por professor orientador, associando o treinamento e esclarecimento para os tutores dos animais a respeito de manejo, enriquecimento ambiental de baixo custo e nutrição, realizados pelos alunos de Ciências Biológicas


Professor: Rodrigo Parisi Dutra
Instituição: UniBH

O projeto se baseia em oferecer um espaço lúdico, no qual se pode aprender ciências brincando. As atividades lúdicas realizadas por meio de experimentos e jogos de fácil acesso, têm intenção de contextualizar fenômenos das ciências (física, matemática e química) e dessa forma estimular o interesse dos jovens para os “encantos das aplicações da ciência e tecnologia” por meio de trabalho manual, realizado pelos próprios jovens, na construção dos experimentos lúdicos. Como benefício para a sociedade, espera-se por meio desse projeto contribuir para a educação científica dos participantes dessas atividades.


Professor: Samuel de Almeida Caldeira
Instituição: UniBH

O consumo de alimentos ultraprocessados, com alta densidade energética e teores elevados de gordura, sal e açúcar, que tendem a ter baixo custo e menor qualidade nutritiva, bem como reduzido teor de fibras, vêm sendo cada vez mais consumidos pela população das diferentes faixas etárias. Nesse sentido, uma solução para auxiliar na melhoria dos hábitos alimentares consiste no acesso às atividades de educação alimentar e nutricional (EAN) com estratégias que impulsionem a cultura e a importância de uma alimentação saudável, aliadas à aplicação de metodologias lúdicas e dinâmicas para melhor compreensão da qualidade dos alimentos e de sua repercussão sobre a saúde.

 

Ademais, a garantia da qualidade das preparações servidas por estabelecimentos que manipulam alimentos é de suma importância e merece atenção, uma vez que evita e/ou minimiza o risco para contaminações e doenças de origem alimentar. O objetivo deste projeto de extensão consiste em promover a saúde e a segurança alimentar e nutricional dos associados, funcionários e demais frequentadores do Olympico Club, localizado no bairro Serra, na cidade de Belo Horizonte, MG.  Este projeto será realizado por uma equipe composta por um docente (coordenador) e discentes do Centro Universitário de Belo Horizonte, que compreenderão o grupo “Clube da Nutrição”.

 

Este grupo será responsável por realizar atividades de educação alimentar e nutricional, com rodas de conversa contemplando diferentes temáticas relacionadas com a alimentação saudável, atividades recreativas de cunho nutricional para crianças, elaboração e fixação de material educativo nos murais do clube e divulgação nas mídias internas e sociais do clube, elaboração de um livro de receitas, entre outras atividades. Ainda, um dos restaurantes do Clube receberá o Clube da Nutrição para acessar a cozinha e realizar adaptações necessárias para garantia das boas práticas de manipulação dos alimentos.


Professor: Larissa Lovatto Amorim Gama
Instituição: UniBH

O município de Belo Horizonte possui inúmeros animais de tração que não possuem saúde e bem estar animal demandando de atendimento clínico veterinário adequado. Uma parte da população que não ingressa no mercado de trabalho, atua na criação destes animais e na utilização destes como forma de tração, possuindo assim uma baixa qualidade de vida.

Diante desses fatos, o presente projeto visa sanar as necessidades dos equinos de tração, compreender as dificuldades dos carroceiros, avaliar a qualidade mecânica destes veículos e propor melhorias para o animal, homem e maquinário. Não obstante, as ações serão direcionadas e posteriormente acompanhadas de forma a conscientizar os proprietários desses animais sobre a importância dos devidos cuidados com seus cavalos, sua saúde e as possibilidades de adequação das carroças com tecnologias de baixo custo.


Professor: Luana de Melo Eufrásio Paiva
Instituição: UniBH

O estilo de vida da população brasileira tem passado por inúmeras transformações nas últimas décadas e isso têm impactado em diferentes aspectos da sua rotina. A alimentação fora de casa, por exemplo, passou a ser uma prática comum no cotidiano das pessoas, que entre trabalho e estudo, passam cerca de 80% de seu dia longe de suas residências.

 

Desta forma, estudantes de centenas de universidades no Brasil depositam suas expectativas de nutrição e segurança alimentar na diversidade de lanches e refeições oferecidas pelas cantinas, lanchonetes e restaurantes localizadas, sobretudo em sua rota casa-trabalho-universidade. Para atender às demandas desses estudantes, os estabelecimentos do ramo alimentício necessitam assegurar no mínimo a qualidade e segurança alimentar oferecidos a essa população. Isso é imprescindível uma vez que os alimentos ao passo que são fontes de nutriente e energia para a rotina desses jovens, também podem representar fonte de contaminação microbianas e doenças.

 

Diante desse contexto, e ressaltando-se o compromisso com a qualidade de vida e de educação assumido pelo UniBH, esse projeto objetiva realizar uma avaliação e monitoramento das condições higiênico-sanitárias das cantinas, lanchonetes e restaurantes localizadas em todos os campi da instituição visando mapear e corrigir deficiências de segurança alimentar desses estabelecimentos. Esse trabalho objetiva também fornecer treinamentos aos manipuladores de alimentos dos estabelecimentos com as maiores deficiências a fim de propor melhorias compatíveis com a qualidade exigida pela UniBH.


Professor: Denise Sande Santos Oliveira
Instituição: UniBH

O Núcleo de Suporte à Internacionalização do Setor Privado de Belo Horizonte é um projeto de extensão universitária que disponibiliza os conhecimentos e práticas dos discentes de Relações Internacionais e Administração do UniBH, à comunidade de pequenos e médios empreendedores interessados em internacionalizar o seu negócio. O projeto tem o perfil de pequena empresa de consultoria e manuseará métodos, técnicas e softwares de pesquisa de mercado e prospecção de cenários internacionais. Estará pronto para receber um NAF da Receita Federal no UniBH e tem como vocação central o empenho dos conhecimentos e inovações produzidos no centro universitário para o crescimento econômico direto da Região Metropolitana de Belo Horizonte, além de, em si, apresentar oferecer de estágio em um mercado restrito em nossa cidade, aos discentes da instituição de ensino.


Professor: Leandro Terra Adriano
Instituição: UniBH

As dificuldades de aprendizagem e conflitos psicossociais são uma realidade presente e alarmante no contexto escolar brasileiro. O presente projeto objetiva ampliar a parceria do UniBH com escolas da rede pública de Belo Horizonte, oferecendo serviços de acompanhamento psicopedagógico e acolhimento psicológico para alunos do ensino infantil e fundamental. Esta ação extensionista é derivada de um diagnóstico feito pelos próprios alunos a do ensino infantil e fundamental. Esta ação extensionista é derivada de um diagnóstico feito pelos próprios alunos do UniBH e já foi acolhido pelas escolas. Almejamos, ao final do ano, ter auxiliado alunos a melhorar defasagens de aprendizagem e acolher demandas psicológicas, além de fortalecer a parceria com os profissionais das escolas e famílias dos alunos, divulgando e disponibilizando dos serviços de psicologia do UniBH.


Professor: Júlia Beatriz Lopes Silva
Instituição: UniBH

Alguns dispositivos que auxiliam na recuperação de pacientes podem, paralelamente, criar um novo problema durante o processo, considerando-se que objetos de tecnologia assistiva carregam consigo um estigma social, que é associado a seus usuários. Destacam-se aqui como objeto de estudo os calçados ortopédicos, pois seguem um modelo de produção que reflete uma estética antiquada, não condizendo, por muitas vezes, com o que é desejado pelos pacientes.

O projeto se dedicará a AMR (Associação Mineira de Reabilitação), organização sem fins lucrativos belo-horizontina, referência em atenção às crianças com paralisia cerebral, que possui uma oficina ortopédica dedicada à produção de próteses, órteses, calçados e palmilhas ortopédicos. Objetiva-se com esse projeto de extensão o redesign dos calçados ortopédicos, visando melhoria na inserção social dos pacientes.

A metodologia inicia-se com uma análise de estudos preliminares ligados ao tema inclusão social de pessoas com deformidades que demandam o uso de calçados ortopédicos feitos sob medida, passando, posteriormente, à fase de design dos novos modelos e finalizando com a aferição das mudanças na percepção dos envolvidos sobre esses calçados. Os modelos desenvolvidos serão doados em sua propriedade intelectual à AMR, ficando disponíveis para sua livre utilização. Espera-se que os modelos readequados gerem uma melhor integração social dos pacientes, inclusive no que tange sua autoestima.


Professor: Anderson Antonio Horta
Instituição: UniBH

No Brasil são produzidas ao ano cerca de três bilhões de unidades entre pilhas e baterias para uso doméstico. Essa quantidade gera preocupação, já que a maior parte do lixo doméstico é destinada a lugares inadequados.

Nas pilhas de zinco-carvão, o zinco é encontrado na forma de um cilindro de metal em contato com o dióxido de manganês prensado, e o eletrólito utilizado é cloreto de amônio. Nas pilhas alcalinas, o zinco está presente na forma de pó e o eletrólito utilizado é o hidróxido metálico, daí o seu nome. As baterias de celular também são compostas de compostos metálicos.

Considerações sobre impactos ambientais sugerem uma disposição adequada, pois as pilhas contêm mercúrio e podem prejudicar o meio ambiente. Segundo a Resolução do CONAMA nº 401, a destinação adequada de pilhas e baterias deve minimizar os riscos ao meio ambiente, bem como adotar procedimentos técnicos de coleta, reutilização e reciclagem.

A execução deste trabalho permitirá avaliar a composição dos constituintes de pilhas e baterias, bem como destiná-los corretamente para fins de recuperação e reciclagem.


Professor: Vitorio Delogo de Castro
Instituição: UniBH

Para reverter as mortes causadas pelo tabagismo são necessárias ações de prevenção à iniciação e tratamento dos fumantes, entre outros. Embora a prevenção seja importante não se tem claramente definidos as estratégias para evitar a iniciação ao fumo de forma eficaz em todo mundo. Education Against Tobacco (EAT) é uma rede mundial conduzida por estudantes de medicina e médicos presente atualmente em mais de 70 escolas médicas, distribuídas em 13 países, cuja missão é atuar no combate ao tabagismo através da prevenção primária da iniciação no tabagismo em adolescentes, por meio de dinâmicas interativas de educação e aconselhamento, utilizando softwares e materiais previamente testados e aplicados. Este projeto, por meio de intervenções nas escolas municipais de Belo Horizonte, é uma iniciativa inédita de implementação do EAT na região de Belo Horizonte.


Professor: Autor Paulo César Rodrigues Pinto Corrêa
Instituição: UniBH

O projeto proposto visa inicialmente o diagnóstico de pontos críticos no manejo podal de bovinos leiteiros, posteriormente o treinamento de funcionários e proprietários de pequenas propriedades rurais situadas na região metropolitana de Belo Horizonte para conscientização de práticas de manejo que visam fomentar saúde dos cascos, bem como a realização do casqueamento de bovinos das referidas propriedades para demonstração prática e de resultados positivos e correlacionados com essa prática.

Os pequenos produtores de bovinos do entorno da região do UniBH, de fato, pelas assistências prestadas em aulas do curso de Medicina Veterinária, não possuem informações básicas e de execução viável para manter o bem-estar dos animais e aumentar a produção de forma econômica e sustentável. No desenvolvimento do projeto, o grupo de alunos extensionistas irá cadastrar esses produtores, realizar visitas para identificar, solucionar e acompanhar os problemas relacionados ao sistema locomotor dos animais, associar os acadêmicos da Administração, Gestão, Engenharias para identificar e solucionar problemas de organização administrativa, financeira e estrutural.

Posteriormente as implementações das ações resolutivas, o produtor será acompanhado para verificarmos os ganhos produtivos dos animais e crescimento econômico da unidade de produção de leite. Com isso, os acadêmicos de Nutrição e Engenharia de Alimentos poderão fomentar ações de utilização do leite para confecção de subprodutos que possam contribuir no destaque desses produtores no cenário de produtos de origem animal.


Professor: Leandro Silva de Andrade
Instituição: UniBH

Esta proposta de oficina de prótese e órtese contempla o estudo do impacto de intervenções terapêuticas no desempenho funcional e na qualidade de vida visando à reabilitação de desordens nas diversas populações com alguma deficiência. Portanto este projeto busca uma intervenção correlacionando diversas habilidades e competências inerentes a diversos cursos do UniBH.

Este projeto de extensão se baseia na implementação e desenvolvimento de um polo tecnológico para o Campus Cristiano Machado na área de Prótese e Órtese. A aquisição de uma deficiência em qualquer etapa da vida de um indivíduo é uma condição que pode impactar seu cotidiano no que se refere às estruturas e funções do corpo, à realização de atividades e à participação social. Com o intuito de diminuir este impacto, o desenvolvimento tecnológico tem influenciado o campo da reabilitação. A Tecnologia Assistiva (TA), é um termo utilizado para identificar todos os recursos e serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais deficitárias.

A TA objetiva romper barreiras sensoriais, motoras ou cognitivas ampliando a comunicação, mobilidade, controle do seu ambiente, habilidades de aprendizado e trabalho. Promovendo maior independência, qualidade de vida e inclusão. Divide-se em categorias: auxílios para a vida diária, esporte, lazer, recursos de acessibilidade, auxílios para comunicação, recursos visuais, órteses e próteses, etc.

A Tecnologia Assistiva é um termo utilizado para identificar todos os recursos e serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais deficitárias, promovendo maior independência, qualidade de vida e inclusão. A organização do pensamento e a capacidade de concentração dos estudantes são estimuladas com o ensino e principalmente na prática da construção do conhecimento atrelada a diversas áreas. A construção de próteses e órteses ampliam os saberes em reabilitação e se transformam em uma ferramenta educacional.

Esta oficina de Próteses e Órteses objetiva a criação de uma interlocução de pontes de conhecimento entre diversos cursos do UniBH.  A TA objetiva romper barreiras sensoriais, motoras ou cognitivas ampliando a comunicação, mobilidade, controle do seu ambiente, habilidades de aprendizado e trabalho. Portanto com a  implementação deste projeto de extensão o UniBH estará promovendo maior independência, qualidade de vida e inclusão saberes voltados para a promoção, proteção e recuperação da saúde de diversas populações.


Professor: Rodrigo Gontijo Cunha
Instituição: UniBH

O Projeto Educomunidade consiste na promoção de oportunidades de reflexão, consumo e produção de mídia, em todos os seus formatos – impresso, digital. Acredita-se na importância de se repensar nosso processo interacional de referência, que é a midiatização na atualidade. Como consumimos informação? Como participamos socialmente de “arenas de debate”, que a mídia nos proporciona? Como é possível articular cidadania, exercício e formação, e ainda midiatização na contemporaneidade?  Essas são algumas das questões que norteiam esta proposta de viés educomunicativo, ou seja, que acontece na interface entre comunicação, educação e comunidades beneficiárias do projeto.


Professor: Ana Rosa Vidigal Dolabella
Instituição: UniBH

Os cursos d’água em ambiente urbano são essenciais para o desenvolvimento da dinâmica da cidade. A Política Nacional de Recursos Hídricos (Lei 9433/97) define que a gestão das águas deve ser descentralizada e participativa. Entretanto, os cursos d’água urbanos se encontram, na maioria das vezes, canalizados, quando não estão tampados estão poluídos, e são confundidos com esgotamento sanitário. Isso os torna invisíveis na paisagem urbana, não são reconhecidos, dificultando assim a gestão participativa.

 

Este projeto visa trazer mecanismos para que através do Centro Universitário de Belo Horizonte UniBH, seus estudantes e as comunidades do entorno reconheçam a existência e a importância de cursos d’água na cidade, e que busquem compreender suas dinâmicas, preservar sua diversidade, conservar seus potenciais, e propor medidas que levem ao envolvimento das comunidades, estudantes e empresas e assim buscar alternativas para uma real gestão participativa e descentralizada.

 

Ao abordar a bacia hidrográfica como tema principal no projeto de extensão, este espaço – físico e social – poderá proporcionar aos estudantes de diversas áreas a percepção de questões referentes a aspectos físicos (disponibilidade de água, declividade, vegetação, solo e riquezas minerais), econômicos e políticos que ao se interagirem, influenciam as modificações ocorridas ou que poderão ocorrer no território, levando assim ao aprimoramento da formação acadêmica e cidadã do aluno.


Professor: Márcia Rodrigues Marques
Instituição: UniBH

Sabendo da necessidade de viver de forma sustentável, a humanidade se vê frente ao desafio de obter os recursos necessários para a existência, com responsabilidade perante a manutenção de recursos essenciais e as outras pessoas. Neste sentido, o presente propõe a montagem de uma fábrica piloto de sabão nas instalações do UniBH para reaproveitamento de óleo de cozinha; montar laboratório de química em escola pública com material alternativo; em paralelo a produção de blocos de concreto reutilizando resíduos da construção civil e da agroindústria (fibras vegetais) e a produção de artesanato a partir de material reciclável. Todas estas atividades tem por objetivo a implementação de ações sustentáveis, que possam gerar renda, despertar a consciência de pessoas para o auto-potencial e o cuidado com o meio ambiente.


Professor: Maria Elena Walter
Instituição: UniBH

O ENEM tem tido cada vez mais iportância entre os estudantes do Ensino Médio, Regular e EJA. Pela localização do Campus Antônio Carlos do UniBH, há a proximidade de Escolas Públicas e Particulares. Esse fato tem nos motivado a continuar a apresentar ao Instituto de Educação o Projeto Reforço ENEM, que segue as metas da Instituição. Os estudantes que se inscreveram no decorrer de 2015, cerca de 138, tiveram uma frequência de 48%, com aulas aos sábados no horário de 13:00 às 16:45. As aulas foram ministradas por graduandos voluntários após seleção de questões do ENEM em número de 15 por disciplina, e exposição sobre vários temas frequentes no ENEM.


Professor: João Bernardo da Silva Filho
Instituição: UniBH

Em Parceria com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o Projeto Juizado de Conciliação do Curso de Direito Uni-BH vem contribuir com a sociedade, tentando resolver, de forma amigável, os conflitos e divergências existentes na sociedade.


Professor: Ana Luisa Coelho Perim
Instituição: UniBH

Trata-se de um curso para capacitação de pessoas que trabalham ou pretendem trabalhar como cuidadores de idosos, por meio de aulas expositivas e atividades práticas semanais, voltadas para a formação gerontológica do profissional, bem como de seu bem estar biopsicossocial.


Professor: Rita de Cássia Guedes
Instituição: UniBH

O diabetes é uma doença caracterizada por hiperglicemia. Experimentos clínicos tem demonstrado que um controle glicêmico meticuloso reduz o risco de complicações em diabéticos. Além disso, estudos em pré-diabéticos tem mostrado que uma intervenção precoce diminui a progressão da doença. Considerando a elevada frequência de alterações glicêmicas na população, o caráter assintomático e o desconhecimento da população quanto ao diabetes, o rastreamento de alterações glicêmicas pode gerar uma melhoria na qualidade de vida das pessoas. Este projeto representa uma estratégia para identificação de diabéticos e pré diabéticos na cidade de BH, auxiliando-os quanto à prevenção e/ou tratamento.


Professor: Clara Araujo Veloso Amaral
Instituição: UniBH

Trata-se de um projeto que iniciou-se em 2014 graças ao apoio do Uni-Bh. Estamos levando propostas de intervenções artísticas por meio de arteterapia e musicoterapia no Hospital Vila da Serra e em instituições filantrópicas como asilos e creches. Pretende-se ampliar as ações já efetivadas no sentido de estimular a humanização na área da saúde por meio de oficinas de artes que serão levadas à comunidade com intervenções artísticas (teatrais e musicais) em creches e asilos, divulgação de pesquisa científica interdisciplinar e promoção de um seminário de discussão sobre Arte e Medicina. Serão trazidos artistas para capacitarem os alunos em suas respectivas especialidades artísticas (artes cênicas, artes plásticas,  música e literatura)


Professor: Francesco Napoli
Instituição: UniBH

Esse projeto de extensão propõe a realização de atividades fisioterápicas para crianças, mães e funcionários da Casa de Acolhida Padre Eustáquio (CAPE). A CAPE é uma instituição sem fins lucrativos, localizada na Alameda do Ipê Branco, 23, no Bairro São Luiz na Pampulha em Belo Horizonte e visa acolher, servindo como moradia, crianças com câncer e doenças hematológicas. As crianças acolhidas pela CAPE são de outras cidades de Minas ou de outros estados e precisam permanecer em Belo Horizonte durante seu tratamento de saúde não tendo condições de serem recebidas por parentes ou em hotéis.

Mantida pela Associação Dona Lucinha, a CAPE recebeu o título de utilidade pública municipal e estadual (projeto de lei 3932015 de 15 de julho de 2015, disponível aqui) e tem capacidade para atender 120 acolhidos, 60 crianças e adolescentes com seus acompanhantes.  O espaço físico da CAPE é composto de capela, consultórios de psicologia, serviço social, nutrição e fisioterapia, brinquedoteca, adoleteca, biblioteca, sala de informática, sala de cursos, sala de televisão, auditório, recepção, cozinha, refeitório, parquinho e lavanderia.

 

São oferecidos os serviços de hospedagem, alimentação, lavanderia, acompanhamento psicológico e social e transporte para o tratamento. Ações de fisioterapia, nutrição, artesanato, contação de histórias e acompanhamento pedagógico e outras atividades e necessidades extras são realizadas através de trabalhos voluntários, doações ou parcerias com instituições públicas e privadas.

 

O curso de Fisioterapia do UniBH visa formar um profissional generalista, inserido nas necessidades de saúde coletiva e com visão crítica e cidadã, de acordo com as diretrizes curriculares nacionais e com a missão institucional deste Centro Universitário. Nesse contexto, ações de extensão que fazem a articulação do conhecimento teórico com ações nos vários níveis de atuação e especialidades de atuação profissional para uma demanda social inquestionável, vêm de encontro ao Projeto Pedagógico do Curso (PPC).

 

Na CAPE, o atendimento de fisioterapia é realizado por uma voluntária que não consegue suprir todas as demandas apresentadas. O objetivo deste projeto é realizar atividades de prevenção, tratamento, reabilitação e cuidados paliativos com as crianças, acompanhantes e funcionários da CAPE, através de ações individuais e em grupo pelo professor coordenador e os alunos envolvidos.

 

Propõe-se a realização das atividades 2 vezes por semana, no período da tarde, na sala de fisioterapia, auditório e outras dependências da CAPE coordenadas pelo professor fisioterapeuta, com a participação de alunos bolsistas e voluntários.

 

As atividades incluiriam:

a) Avaliação e atendimento fisioterápico individual às crianças com demanda para fisioterapia, mediante autorização médica;

b) Atendimento fisioterápico em grupo das crianças, após avaliação e de acordo com a demanda com finalidade de estimulação do desenvolvimento psicomotor, reeducação postural, relaxamento, entre outras;

c) Avaliação e atendimento fisioterápico individual aos acompanhantes com demanda para fisioterapia, mediante autorização médica;

d) Atendimento fisioterápico em grupo dos acompanhantes, após avaliação e de acordo com a demanda com finalidade de relaxamento, reeducação postural, atividade física orientada, entre outras;

e) Avaliação e atendimento fisioterápico individual aos funcionários com demanda para fisioterapia, mediante autorização médica;

f) Atendimento fisioterápico em grupo dos funcionários, após avaliação e de acordo com a demanda com finalidade de relaxamento, reeducação postural, ginástica laboral, entre outras;

g) Avaliação e orientação ergonômica;

h) Realização de grupos educativos de acordo com a demanda, tais como hipertensos, cuidados com a coluna, cuidados com a criança, etc.

 

Serão levantados dados para pesquisa, mediante assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e atendidas as demandas de eventos da CAPE e do UniBH.


Professor: Juliana Magalhães Machado Barbosa
Instituição: UniBH

A Política de Pesquisa do UniBH prevê os seguintes incentivos:

Incentivo à participação em eventos acadêmicos: docentes e discentes, com inscrição comprovada em evento acadêmico para apresentação de trabalho, podem receber subvenções.

Incentivo à publicação de artigo: professores (com titulação mínima de doutor) recebem subvenção integral ou parcial para a publicação em revistas científicas de artigos inéditos e/ou tradução.

 

Para conhecer as condições, encaminhe e-mail para: extensao@unibh.br.


Saiba mais.

 


Professor: Juliana Magalhães Machado Barbosa
E-mail: extensao@unibh.br
Instituição: UniBH

A Escola Integrada é um programa de educação oferecido nas escolas municipais de Belo Horizonte desde 2002. Ele traz uma nova proposta que parte da sala de aula, mas vai além dela, para explorar e desenvolver o potencial educativo em torno da escola. Com a Escola Integrada, a Prefeitura amplia a jornada escolar para nove horas diárias, visando a garantir a todos os estudantes inclusão, permanência e excelência na aprendizagem.

Diariamente, são oferecidas oficinas de artes, dança, cultura, brincadeiras, contação de histórias, jogos, esportes, informática, conhecimento, reforço escolar, leitura, inglês, cidadania, entre outras. Esses projetos de intervenção são desenvolvidos por alunos das universidades parceiras do programa, para que tenham a possibilidade de aplicar na prática os conhecimentos apreendidos. Em cada escola, há um professor comunitário, que organiza e acompanha as oficinas oferecidas pelas universidades parceiras.

O UniBH participa deste projeto oferecendo oportunidades de estágio e de aprendizagem, que permitem aos alunos unir teoria e prática em vivências sociopedagógicas da realidade educativa de Belo Horizonte. O aluno do UniBH pode atuar como bolsista ao desenvolver projetos e oficinas de seu interesse e da escola, numa jornada de vinte horas semanais, nos turnos manhã ou tarde.

 


Professor: Carlos Donizetti
E-mail: carlos.silva@unibh.br
Instituição: UniBH

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.


Inscreva-se