2ª Semana do Jornalismo discute a responsabilidade social do jornalista

Por Vitória Ohana e Luciano Neto – estagiários CACAU

Dividida em dois momentos, a abertura da 2ª Semana do Jornalismo buscou discutir qual o valor do jornalista para a sociedade. No primeiro bate-papo, realizado no turno da manhã de ontem (22), os alunos receberam os convidados Érika Gimenes, editora-chefe do portal SouBH, e Léo Gomide, repórter e comentarista esportivo.

 

Érika Gimenes, Gustavo Brasileiro e Léo Gomide durante o bate-papo (Foto: Alexandre Milton)

 

No encontro, mediado pelo aluno Gustavo Brasileiro, Léo e Érika responderam a dúvidas e questionamentos dos alunos acerca da profissão. Um dos momentos de destaque frisou a importância de ter um cuidado redobrado no momento de produzir qualquer tipo de conteúdo. Léo explicou que as transformações tecnológicas aumentaram a velocidade com que o jornalista produz e a pressa com que o leitor consome informação, portanto, é importante estar atento e checar a fundo antes de publicar.

O acontecimento não tem hora marcada

Érika Gimenes ressaltou aos futuros jornalistas que, ao escolherem trabalhar com redação factual, eles não devem se prender a horários fixos. A profissional destaca que o jornalista deve estar sempre preparado – e disposto – a encarar coberturas e plantões fora do horário comercial.

 

Érika Gimenes em entrevista a CACAU – UniBH (Foto: Alexandre Milton)

 

O aluno Guilherme Peixoto, 21, cursando o 7º período, reforça a importância do centro universitário em horizontalizar os debates na hora de passar o conteúdo programático: “É fundamental que o aluno tenha experiências além da sala de aula, isso quebra um pouco a rotina, às vezes maçante, do professor explicando e o aluno na carteira ouvindo”.

 

Verdade na era das fake news

No turno da noite, para encerrar o primeiro dia, as jornalistas Shirley Barroso, repórter da Record TV, e Isabelly Morais, narradora da Rádio Inconfidência, contaram suas trajetórias e o motivo de terem escolhido a profissão, além de destacarem os desafios da presença feminina nas editorias de polícia e esportes.

 

Isabelly Morais, Victor Veloso e Shirley Barroso durante o bate-papo (Foto: Maykel Douglas)

 

Shirley destacou que o jornalista tem que ser transparente perante uma sociedade tão vigilante na internet: “Eu acho que precisamos trabalhar com a verdade, sendo sincero, procurando não burlar a informação com o crescimento das fake news. O jornalista precisa ser humano”, enfatiza.

 

Shirley Barroso em entrevista a CACAU – UniBH (Foto: Maykel Douglas)

 

A repórter também ressalta a importância da aproximação dos profissionais com os alunos de jornalismo: “Eu acho super legal, na minha época de jornalismo a gente aprendia algo na faculdade e na prática a experiência era outra. Ter um profissional por perto para tirar uma dúvida e receber um conselho de quem está na área é muito bom”, afirma Shirley.

Já Isabelly Morais, cursando o último período de jornalismo pela UFMG e locutora esportiva da Rádio Inconfidência, alerta que o profissional precisa estar preparado para tudo, estar disposto a fazer tudo aquilo que pedirem e valorizar a informação, pois o público está sempre muito próximo com o crescimento da internet.

Isabelly Morais em entrevista a CACAU – UniBH (Foto: Maykel Douglas)

 

Os nossos convidados também deixaram vídeos com dicas para os futuros profissionais, confira!

Érika Gimenes – http://bit.ly/2IBpu5v

Léo Gomide – http://bit.ly/2GD2HEn

Shirley Barroso – http://bit.ly/2IAgRbv

Isabelly Morais – http://bit.ly/2UOwO4e

 

Inscreva-se