A importância da Gestão 4.0 e das soft skills na formação do profissional do futuro

Estamos vivendo uma época em que a robótica, a inteligência artificial, a internet das coisas e todas as diferentes tecnologias vêm se tornando imprescindíveis na administração de um negócio, independentemente do tamanho que ele tenha.

As tecnologias digitais criaram uma enorme disruptura, não apenas em TI, mas também nos estilos de liderança e na forma como gerenciamos nossas organizações. Os líderes das empresas de tecnologia não são líderes digitais, entretanto, é indiscutível que Mark Zuckerberg é, hoje, um dos melhores exemplos. O que ele tem que a maioria dos gestores não têm?

Em primeiro lugar, há uma diferença no estilo de gerenciamento. Ele tem o dom de inspirar seus funcionários a inovar e se apegarem a essas ideias. Sua perspicácia na aplicação de benchmarks da liderança digital mostra uma abordagem rápida, hierárquica, cooperativa e orientada para equipes, que frequentemente integra os ideais de pico de inovação do Vale do Silício.

Acima de tudo, a competência pessoal, a mentalidade e a aplicação de novos métodos (ou instrumentos como o design thinking) são cruciais. Existem várias características exibidas, que também usamos para diferenciar a Gestão 4.0, e é exatamente sobre esta gestão que queremos falar com você, aqui neste artigo.

 

Definindo a Gestão 4.0

A administração na prática, dentro das empresas, supervisiona uma pessoa ou um grupo de pessoas com o intuito de atingir metas e objetivos desejados. No que diz respeito à inovação, os gerentes com habilidades de planejamento, organização e liderança de projetos são responsáveis por realizarem as mudanças em direção à Gestão 4.0.

E, para defini-la, podemos dizer que a tecnologia desempenha o papel mais importante no cenário de negócios da Gestão 4.0, pois está focada na transformação de padrões existentes, liderança, sociedade e forma de aprendizado ao longo da vida e da carreira profissional.

Estudos recentes indicam que essa revolução é diferente de qualquer outra que já experimentamos antes. As tecnologias que a impulsionam incluem máquinas e sistemas inteligentes e conectados, nanotecnologia, sequenciamento de genes, energia renovável, computação quântica, impressão 3D, carros sem motorista, dinheiro digital, robótica, drones e avanços biológicos.

Os estudos também citam a economia do compartilhamento (por exemplo, Airbnb e Uber), o surgimento da guerra cibernética e alguns fatores como a velocidade, amplitude, profundidade, além do impacto sistemático desses elementos, sendo os grandes propulsores dessas mudanças.

 

Tudo está baseado na mentalidade e em como olhamos para o mundo
É mais difícil mudar de forma sustentável do que aprender novas habilidades, porque mudanças significam que novos padrões de pensamento serão adotados, novos hábitos e ações futuras.

A agilidade é a principal ferramenta diante da Gestão 4.0, pois está ligada à experiência do cliente e, ao mesmo tempo, trata do envolvimento dos funcionários, de suas habilidades individuais (soft skills e hard skills), motivações e novas ideias. Uma cultura aberta, transparente e inovadora é a base para a alta agilidade, rápida adaptação ao mercado e o DNA do líder digital.

Para que as organizações reajam com mais eficiência às mudanças do mercado, os líderes digitais devem dar muito mais responsabilidade às equipes. A cultura cocriativa, do time como um todo, requer muita flexibilidade de aprendizado de cada indivíduo.

 

Sete características dos Gestores 4.0

Responsabilidade
Os gestores tradicionais claramente definem responsabilidades e funções dentro de uma equipe, e, muitas vezes, esse cenário é o provocador de conflitos internos.

Os gestores 4.0 aprendem a distribuir tarefas de acordo com a situação e a competência de cada pessoa da equipe, na qual as soft skills (habilidades comportamentais) dos funcionários estão relacionadas. O sucesso de um projeto significa que todos os participantes contribuíram com sua inteligência e competências individuais.

 

Resultados
Os gerentes tradicionais controlam pedidos, planejam recursos e avaliam resultados cujos limites são determinados ao atingirem a zona de conforto de determinada pessoa da equipe ou, até mesmo, da equipe por inteiro.

Os gestores 4.0 controlam os processos, avaliando tarefas e resultados em conjunto com os membros da equipe e usam os recursos de acordo com o potencial e a competência (assim como na busca por responsabilidades). Os resultados práticos são gerados através da integração de feedback constante das partes interessadas, internas e externas.

 

Distribuição de Informações

Ao contrário dos gestores tradicionais, que distribuem informações fragmentadas de forma “estratégica” (baseada na síndrome do “conhecimento é poder”), na Gestão 4.0, os líderes digitais criam uma estrutura transparente, informações e dados compartilhados e se esperam atitudes proativas da equipe.

 

Objetivos e Avaliações
Avaliar o desempenho dos funcionários individualmente, em ciclos fixos, está dentro da zona de conforto de um gerente tradicional. Já na Gestão 4.0, as próprias situações determinam a necessidade de avaliar funcionários e equipes de forma igualitária, com troca /feedback ocorrendo de forma contínua.

 

Erros e Conflitos
Regras e consequências predeterminadas para violações evitam erros ao longo do caminho, e, na gestão tradicional, um líder toma atitudes fundamentadas nelas, antes que os conflitos ocorram. Os líderes 4.0 estimulam um ambiente onde existem aprendizados baseados em erros e busca por melhoria contínua.

 

Mudança
Manter orçamentos, qualidade estável e riscos minimizados são uma prioridade para os gerentes tradicionais, deixando pouco espaço para a criatividade. A energia de um líder 4.0 sustenta a vontade e a capacidade de alto nível de mudança dentro da empresa, promovendo deliberadamente e incentivando a alta agilidade entre o mercado, clientes e funcionários.

 

Inovação
Criar novas ideias para novos produtos costuma ser extremamente desafiador para um líder tradicional, pois não se encaixa nos ciclos ou processos normais. O futuro é inventado e projetado; um líder 4.0 sabe que as inovações se baseiam no foco de uma equipe, em um objetivo comum de fazer o melhor uso possível das habilidades de cada indivíduo (potencial certo). A inovação é aprendida e usada como agente para a transformação de estruturas antigas, por meio de equipes multidisciplinares, ambientes de trabalho flexíveis e processos criativos.

 

As soft skills desempenham um papel cada vez mais importante no mercado de trabalho
Além das habilidades técnicas e profissionais, os empregadores procuram candidatos com habilidades comportamentais como a flexibilidade, cortesia e trabalho em equipe.

Até alguns anos atrás, as universidades ensinavam apenas habilidades técnicas específicas, tanto na graduação quanto na pós-graduação. Por exemplo, um engenheiro sempre estudou temas relacionados à matemática e economia, um profissional de educação física à anatomia humana etc.

Hoje, o sucesso profissional depende não apenas dessas habilidades, chamadas de hard skills, mas também de outras habilidades que antes não eram muito consideradas, mas que estão se tornando vez mais importantes: as soft skills.

O que são habilidades sociais?

As soft skills abrangem várias habilidades, como comunicação e habilidades interpessoais, inteligência emocional, qualidades de liderança, habilidades de equipe, habilidades de negociação, gerenciamento de tempo e estresse e etiqueta comercial.

Algumas das soft skills mais procuradas são:

• Comunicação: habilidades orais e escritas, saber ouvir.
• Cortesia: boas maneiras, etiqueta nos negócios.
• Flexibilidade: adaptabilidade, vontade de mudar, postura de aprendiz ao longo da vida.
• Integridade: honestidade, ética, moral elevada.
• Habilidades interpessoais: bom senso, gentileza, senso de humor, autocontrole, paciência, sociabilidade, ser amigável, educação, empatia.
• Atitude positiva: otimista, entusiasta, encorajador, feliz, confiante.
• Responsabilidade: responsável, confiável.
• Trabalho em equipe: agradável, solidário, prestativo, colaborativo.
• Ética de trabalho: disposição para trabalhar de forma correta.

 

O que dizem os especialistas?

Vários estudos mostram que essas habilidades são essenciais para o sucesso nos negócios, e é exatamente por isso que os empregadores as procuram com entusiasmo, entre os candidatos.

Para o professor da área de Tecnologia Thiérs Hofman: “Estamos observando e vivendo em um momento de transformação da sociedade, da economia e do mercado. Vários estudos já apontam que, em 10 anos, estaremos convivendo em um mercado de trabalho recheado de novas profissões e novas tecnologias. Que diversas profissões não existirão da maneira que conhecemos hoje. Assim, se pensarmos somente na formação de hard skills estaríamos na contramão desta tendência. A inclusão de uma grade curricular que trabalhe com as soft skills e o conceito da nova forma de gestão faz todo o sentido. Essas competências são essenciais para que o profissional continue sua carreira, mesmo neste ambiente de mudanças rápidas. Outro aspecto importante é a transformação digital que ocorre aceleradamente nas empresas. A forma de pensar gestão esbarra inevitavelmente no mundo cada vez mais digital”.

E você, reconhece as características e habilidades que moldam seu estilo de liderança? Está preparado para a Gestão 4.0? A palavra de ordem é qualificação! Portanto, não pare no tempo!