Alunos do UniBH formam big band com “cara brasileira”

Praia Mineira foi criada no semestre passado e já entrou em estúdio para gravar sua primeira música com direito a videoclipe com produtora da universidade

 

O UniBH agora tem uma big band. E embora as influências para a formação desse tipo de grupo musical sejam totalmente norte-americanas, a big band do UniBH veio com a proposta de ser contemporânea, jovem e bem brasileira. A começar pelo nome: Praia Mineira. 

Formada por 30 alunos, sendo 15 deles músicos, a Praia Mineira é resultado de um projeto de extensão da universidade iniciado no semestre passado. A banda reúne estudantes com aptidão musical, mas diferentes expertises. 

“Nossa big band não tem metais, mas tem violoncelo, contrabaixo e acústico porque tínhamos alunas com formação em orquestra. Cada integrante chegou com seu molho, a banda tem a cara da groove, do samba, uma cara contemporânea, absolutamente moderna e jovial com todas as suas influências”, afirma o músico Rodrigo Borges, coordenador do projeto. Ele conta que as universidades mineiras têm tradição na formação de big bands, sobretudo, entre as instituições públicas.  

O projeto foi aberto para os alunos de todos os cursos e uma vez formada, os integrantes se organizaram, internamente, para definir papéis. Assim que a pandemia permitir, o desejo da Praia Mineira é se apresentar dentro e fora do campus universitário. E até viajar pelo Brasil. 

“Enquanto projeto de extensão, queremos ouvir a sociedade, exercitar o trabalho de troca e escuta, para reverberar artisticamente os anseios, as inquietações e as necessidades de expressão. Levar cultura e alegria é exercitar essa escuta”, explica Borges, que vem de família de músicos. Seu pai Marilton Borges é um dos integrantes do movimento musical conhecido como Clube da Esquina e tocou com Milton Nascimento. Ele é irmão do músico Lô Borges. 

O repertório da Praia Mineira ainda está sendo definido e deve ser “vivo”, pois as equipes podem ser renovadas a cada semestre, o que vai promover uma constante atualização. Mas Borges já adianta que a produção musical brasileira será valorizada, inclusive ele quer estimular a composição de músicas próprias. 

“Também queremos incentivar os alunos que já estão no mercado, além disso dar uma cara para o projeto. Big band é um conceito norte-americano e queremos transfigurar para o nosso DNA, nossa cultura aqui do Brasil.”

Produtora e videoclipe

A Praia Mineira já gravou sua primeira música e videoclipe em estúdio, pela Gerais, a produtora audiovisual e gravadora do UniBH, outro projeto de extensão da universidade coordenado por Borges. 

Respeitando os protocolos de segurança por conta da pandemia, os músicos fizeram a regravação do single “E eu”, uma música do compositor Eduardo Toledo, de Belo Horizonte, e gravaram, ainda, um videoclipe. A canção fez sucesso nos anos 90 na interpretação da Banda Nepal. 

A produtora Gerais também envolve alunos de outros cursos não ligados à música que atuam nos departamentos de marketing, assessoria de imprensa, direitos autorais, produção artística, entre outros. 

A intenção da Gerais é expandir o raio de trabalho para os talentos artísticos de estudantes de todas as instituições da Ânima Educação, até ao público externo. 

“Queremos abrir o serviço de audiovisual para clientes, empresas e artistas do entorno. Até pela capilaridade do grupo Ânima, nossa ideia é que ela reverbere no país inteiro. É uma semente plantada no UniBH, mas de cultura e integração para o Brasil todo”, finaliza Moraes.