Coaching para a escolha da graduação: vale a pena? Coaching para a escolha da graduação: vale a pena?

Coaching para a escolha da graduação: vale a pena?

Estudos na área de neurologia apontam que a capacidade de julgamento de um indivíduo se desenvolve plenamente apenas por volta de 23 anos. O problema é que, nessa idade, muitos jovens já tiveram que passar por um momento crucial: a escolha da profissão.

Mas decidir algo que mudará a história da sua vida com apenas 17–18 anos soa injusto, não é mesmo? Como decidir entre centenas de áreas sem conhecimento aprofundado sobre elas? Como lidar com a pressão dos pais “forçando a barra” para tomar decisões no seu nome, que impactarão o seu destino para sempre?

Esse dilema tem sido neutralizado por muitos estudantes que descobriram no coaching uma solução poderosa para fortalecer o seu processo decisório com solidez, embasamento e orientação especializada.

Descubra agora como o coaching para a escolha da graduação pode ser a diferença entre o sucesso e o arrependimento. 

Afinal, o que é coaching?

O trabalho de coaching ajuda o estudante a refletir e a descobrir o seu perfil e as suas potencialidades. Assim, o coach se trata de um profissional que utiliza ciências diversas e inúmeras metodologias modernas de autorreflexão, tais como:

  • a psicologia positiva;

  • a sociologia;

  • a terapia cognitiva;

  • as técnicas de psicodrama;

  • a neurociência;

  • e até o chamado neurocoaching — uma fusão entre os conhecimentos de neueroanatomia e coaching, que objetiva compreender como as diversas conexões neurais influenciam e impactam nossos comportamentos e reações diante dos desafios da vida.

Além da dimensão psicológica, esse profissional ainda informa o estudante sobre a situação do mercado de trabalho da área pretendida, mostrando os possíveis obstáculos a serem enfrentados, as exigências de mercado e outras peculiaridades ligadas às áreas de interesse.

Todas essas informações são sempre “cruzadas” com o perfil já traçado do estudante, revelando indícios de adaptação ou rejeição que auxiliam significativamente o futuro calouro no processo de decisão.  Extremamente útil em um momento de tantas dúvidas, não?

Como surgiu a figura do coaching?

O coaching (cujo conceito já existe há alguns séculos, ainda que de forma rudimentar) é fruto de uma necessidade de mercado, uma vez que as empresas perceberam a necessidade de designar profissionais especializados para acompanharem os seus colaboradores e o ajudarem a se desenvolver.

Com o passar das décadas, as técnicas desses experts em mercado de trabalho passaram a ser utilizadas fora dos muros das organizações, na prestação de ajuda a estudantes de ensino médio e recém-formados a escolherem os melhores caminhos para a sua carreira.

Como funciona o processo de orientação?

A intervenção de um coach se inicia com entrevistas e com a aplicação de testes e de técnicas psicológicas diversas, que vão resultar em um diagnóstico prévio das competências e das habilidades do estudante.

Em seguida, é feita uma minuciosa análise e interpretação dos dados coletados no diagnóstico, sendo que, em muitos casos, são utilizados até mesmo poderosos softwares de Big Data (aplicações com capacidade para tratar imensos volumes de dados) no cruzamento e geração das informações registradas.

As sessões são periódicas e tem duração de 6 meses a 1,5 ano. Entretanto, é importante destacar que a frequência de sessões e a duração total dependem dos objetivos dos estudantes e da negociação prévia feita com o profissional.

O que o coaching pode agregar na vida do estudante?

Um trabalho de coaching não vai dar as respostas prontas aos estudantes; antes, vai despertar o senso crítico e o raciocínio reflexivo embasado, a fim de proporcionar conclusões consistentes sobre a área de interesse. As metodologias de um profissional dessa área estimulam os seguintes conhecimentos:

  • o conhecimento sobre o seu próprio perfil;

  • o conhecimento realista das influências;

  • a consciência da importância de escolher e de decidir corretamente, com base em análises;

  • a consistência das preferências vocacionais;

  • a composição da carreira (por exemplo: remuneração e competências exigidas);

  • o conhecimento da realidade educacional;

  • o conhecimento realista do sistema econômico e das futuras tendências.

De acordo com dados do Ministério da Educação, entre 25% a 30% do total de alunos aprovados anualmente nos vestibulares já iniciaram anteriormente um curso superior, e o montante que as faculdades perdem anualmente com a evasão universitária gira em torno de incríveis R$ 9 bilhões. Todo esse prejuízo social poderia ser minimizado com ajuda profissional.

É interessante destacar que, em muitos casos, a escolha incorreta, sem critérios e baseada apenas no feeling tem resultados devastadores na carreira dos estudantes, tendo em vista os anos perdidos e a desistência dos estudos (algumas vezes, irreversível). Ter um trabalho de coaching para a escolha da graduação pode, portanto, facilitar esse processo e evitar equívocos em um momento tão crucial na vida de um indivíduo.

Qual é a importância de optar por uma universidade de excelência?

Independentemente do curso escolhido, é fundamental que o estudante não coloque em questão apenas o valor da mensalidade mas também a qualidade da instituição de ensino superior a ser eleita.

Isso porque a profundidade do conteúdo abordado, o grau de apoio social ao aluno (por meio de políticas de incentivo e financiamento estudantil, por exemplo) e a habilidade de lapidar as competências intrínsecas do graduando variam muito entre uma universidade e outra.

Entretanto, são questões que fazem total diferença no despertar da “paixão” de um aluno pelo curso escolhido. Muitos estudantes desistem dos cursos desiludidos, acreditando não ser o que eles imaginavam, quando na verdade o problema estava na abordagem e na didática equivocadas, desenvolvidas pela coordenação do curso.

Dessa forma, opte por uma instituição de ensino superior de excelência, com aprendizagem experiencial, parcerias com outras instituições (inclusive, no exterior), modernas políticas de integração do aluno com as grandes empresas do mercado, entre outras perspectivas pioneiras.

Por falar nisso, quer conhecer um pouco mais sobre cada profissão — das suas possibilidades de mercado até a remuneração e os perfis exigidos em cada área? Então dê uma olhada na seção especial sobre carreiras que preparamos para você!

E não deixe de conferir a oferta de cursos do vestibular do UniBH. Com certeza existe uma opção que se encaixa no seu perfil!