Como atua o vírus da Zika e por que ele está espalhando tanto?

Precisamos falar sobre o Zika vírus: o mais famoso vilão da atualidade que tem assustado a população não só brasileira, mas de todo o resto do mundo, devido à epidemia que vem se agravando nos últimos dois anos. Entretanto, a verdade é que você já sabe muito sobre essa doença, quer ver?

Durante o período em que estamos na escola, costumamos achar que o único motivo para aprender determinada matéria é passar de ano, ou mesmo em alguma prova. Mas, como você já deve imaginar, grande parte desses conhecimentos são levados pro resto da vida e vice-versa, afinal, é claro que o inverso também é possível: se você sabe o que tem acontecido no mundo, fica mais fácil entender quando o professor aprofunda no assunto.

Quando aprendemos sobre os vírus, nas aulas de Biologia, fica bem mais fácil entender por que ficamos doentes e como eles atuam em nosso corpo. Se estamos por dentro das notícias a respeito da doença, então, aí é que tudo se encaixa mesmo — e notícias sobre o Zika vírus é o que não falta!

​Sendo assim, fizemos um apanhado de informações que podem esclarecer algumas dúvidas a respeito do Zika vírus, para que você não fique doente e ainda vá bem no vestibular — confira abaixo!

Conheça o Zika vírus

O vírus da Zika foi identificado em humanos pela primeira vez na Nigéria, na década de 1950. Até 2013, ele havia sido notificado em alguns países da Ásia, da Oceania e da África.

No entanto, há dois anos, ele chegou à América Latina, tendo o primeiro caso no Brasil em 2015. Fica cada vez mais evidente que o vírus está se espalhando com uma velocidade bastante preocupante, inclusive, pelos demais continentes — América do Norte e Europa.

Transmissão do Zika vírus

O vírus é transmitido por meio de vetores. No Brasil, o contágio do Zika vírus se dá pelo mosquito Aedes aegypti, responsável também pela transmissão da dengue, da febre amarela e da febre chikungunya.  

Os ovos desse mosquito são colocados na água. Ao nascerem — 48 horas depois —, as larvas permanecem na água por mais uma semana, quando chegam ao estágio adulto e passam a picar as pessoas, uma vez que as fêmeas se alimentam de sangue para o desenvolvimento de mais ovos. A partir daí, o mosquito adulto vive em média 45 dias.

Não bastasse a rapidez de reprodução do Aedes aegypti, os ovos do vetor conseguem suportar a seca por até um ano, além de poderem ser transportados a longas distâncias, até encontrarem um local úmido, propício para desenvolver o embrião. A dificuldade de erradicação desse mosquito é o que mais dificulta o controle das doenças por ele transmitidas.

Sintomas causados pelo vírus da Zika

Após infectar o corpo, o Zika vírus circula na corrente sanguínea por algum tempo, causando febre constante, vermelhidão na pele, no rosto e no olho, coceira, dores de cabeça, musculares e nas articulações, entre outros sintomas mais raros, como diarreia, dor abdominal, fotofobia e conjuntivite.

O vírus em si não causa muito transtorno ao infectado, sendo que os sintomas costumam ir embora de 3 a 7 dias. O que o paciente deve fazer é tratar dos sintomas, para que ele não se sinta tão mal.

O preocupante, nesse caso, é a possibilidade do vírus estar associado a outras doenças mais perigosas, como a microcefalia e a síndrome de Guillain-Barré. Ainda não está claro como se dá a relação do Zika vírus com essas doenças, assim, ela vem sendo investigada pelos órgãos responsáveis em diversos países.

Medidas de prevenção

Assim como ocorre com a dengue, ainda não há vacina contra o Zika vírus. Sendo o vetor de transmissão já conhecido pelos brasileiros, a principal medida de prevenção também não é novidade: diminuir as chances de reprodução do mosquito Aedes aegypti, evitando a água parada.

Ou seja, deve-se esvaziar ou tampar recipientes que acumulem água, colocar areia em vasos de planta, limpar as calhas, assim como colocar tela em janelas e fazer o uso de repelentes como medidas que diminuirão consideravelmente o número de mosquitos e o número de infectados pelas doenças transmitidas por eles.

É importante se conscientizar que essas medidas devem ser feitas não só em nossas casas, mas em toda a comunidade, pois o mosquito que nasce na casa do vizinho vai circular pela cidade, podendo infectar qualquer pessoa. Logo, em caso de negligência e identificação de focos do mosquito, é preciso denunciar para que a Secretaria Municipal de Saúde tome as devidas providências.

Disseminação do vírus

Com a globalização, cada vez mais pessoas viajam entre os continentes. Dessa maneira, algumas doenças são levadas de um país a outro, de modo que os habitantes do país visitado não possuem anticorpos para combater os novos vírus ou bactérias. Sendo assim, devido aos últimos eventos internacionais ocorridos no Brasil, é possível entender o surto de Zika vírus acontecendo no país e se espalhando por outros lugares onde ainda não havia sido notificado.

Considerando também a rapidez com que o ciclo de transmissão do Zika vírus acontece, isso explica a velocidade de disseminação do vírus e o número de infectados. O desafio para os órgãos de saúde é reduzir o número de mosquitos, consequentemente reduzindo o número de doentes, tendo em vista a quantidade de turistas e de atletas que estarão presentes em nosso país nos próximos meses, graças aos Jogos Olímpicos de 2016.

Como você pôde observar, há muitos motivos para se preocupar e para conhecer mais sobre o vírus da Zika. Sendo esta uma questão importante e bastante recorrente nos últimos meses, é imprescindível conhecer o máximo possível sobre essa doença; não só por motivos de saúde, mas também porque ela envolve várias áreas do conhecimento, que podem ser cobrados no vestibular.

Logo, todo e qualquer conhecimento sobre o Zika vírus pode ser importante para as provas que ocorrerão ao longo desse ano (e até mesmo dos próximos anos). Uma vez que os estudos sobre ele ainda estão em andamento, é comum que ocorra controvérsias a respeito de algumas informações da doença. Por isso, tome cuidado e lembre-se de ponderar suas leituras, de acordo com seus estudos e aulas sobre o assunto.

Agora que você aprendeu bastante sobre a doença da globalização que mais está em evidência atualmente, que tal ficar por dentro de alguns estudos desenvolvidos para explicar o papel do biomédico em casos como esses? Clique aqui para adquirir ainda mais conhecimentos e aumentar suas chances de ingressar na faculdade dos seus sonhos!

Bons estudos!