Como um bom networking pode potencializar a sua carreira? Como um bom networking pode potencializar a sua carreira?

Como um bom networking pode potencializar a sua carreira?

O perfil atual do mercado de trabalho mostra uma realidade difícil para os seus profissionais. Hoje, apenas uma graduação não é mais o único recurso necessário para conseguir um cargo e alcançar o sucesso.

Qualificações, cursos de idiomas e, principalmente, um bom networking são essenciais para quem deseja obter uma posição no mercado. De acordo com o estudo da consultoria especializada em gestão de talentos, Right Management, 70% das contratações são motivadas por indicações de outros profissionais.

Para muitos profissionais, a palavra networking é sinônimo de sorrisos falsos, prestação de favores e uma quebra de princípios, mas a situação não é bem assim. Na prática, as empresas não contratam um profissional apenas por ser amigo de alguém. É preciso ter competência e um bom currículo.

A indicação é apenas o primeiro passo do processo de contratação. E não funciona como um escambo de favores, mas sim como a troca de informações que ajudam as empresas a economizar tempo nos processos seletivos.

Muito se fala sobre o tema, mas você sabe exatamente como fazer networking? Confira as nossas dicas!

A importância do networking

Oriunda do inglês, a palavra networking indica a capacidade de estabelecer uma conexão com outras pessoas, ou seja, uma rede de contatos. Essa relação não precisa ser estritamente no ambiente profissional, ela pode indicar uma partilha de qualquer serviço e informações entre indivíduos com interesses em comum.

No ambiente de trabalho, além de ser fundamental para conseguir uma vaga de estágio ou emprego, construir um bom networking é importante também para as relações sociais.

Muitas vezes, durante a busca por uma oportunidade profissional pode surgir uma amizade duradoura e até mesmo um auxílio para outras áreas. Não são raros os casos de sócios de empresas e startups que se conheceram por meio de uma rede de contatos em mídias sociais ou durante a graduação, por exemplo.

Networking na graduação

E, por falar em graduação, tenha em mente que as universidades são os locais ideais para começar a estabelecer a sua rede de contatos profissionais. Muitas pessoas acreditam que só é possível criar um bom networking quando já estão inseridas no mercado de trabalho. Um erro que pode fazer escapar excelentes oportunidades de indicações por docentes, outros funcionários ou pelos próprios colegas de graduação.

Esqueça o mito da figura de autoridade e procure conhecer melhor os seus professores, principalmente aqueles que você se identifica ou que trilharam uma trajetória profissional que você deseja seguir.

Mas não adianta acreditar que apenas um sorriso bonito garantirá uma indicação. Mostre participação na aula, faça questionamentos pertinentes e se dedique para obter boas notas nas avaliações. Ou seja, mostre que você possui todas as habilidades para ser um excelente profissional.

E não ignore os seus colegas de graduação. Você não precisa ser o melhor amigo de todos, mas participar de trabalhos em grupo, oferecer ajuda e trocar experiências. Isso pode te garantir uma boa indicação em processos seletivos para estágios das empresas, que muitas vezes pedem que o próprio estudante indique alguém para ocupar a sua vaga, quando estiver de saída.

Os erros do networking

Construir networking não significa apenas distribuir cartões e apertos de mão — é preciso realmente estabelecer relações e compartilhar dos mesmos interesses profissionais.

Por isso, muitas pessoas não entendem por que não recebem indicações, mesmo mantendo um grande número de amigos em suas redes online, como o LinkedIn e Facebook. De acordo com um estudo da Universidade de Oxford, cada pessoa só consegue estabelecer realmente 150 relações de amizades em mídias sociais.

Um erro comum é ignorar qualquer relação social ou recusar ajuda para outros colegas de profissão, quando se está empregado. Muitos profissionais só procuram outras pessoas quando pensam em mudar de cargo ou diante de uma demissão.

Um colega não te indicará para uma vaga ou para uma empresa sem conhecer a sua competência profissional, ou isso pode abalar o seu próprio nome no mercado. Construir um bom networking costuma levar tempo e exige uma troca de experiências e de vivência — ou será apenas uma relação interesseira.

Como criar um bom networking

Essa é a parte mais difícil do processo, por exigir um traquejo social e tempo para cultivar relações que fortaleçam o seu nome no mercado. Confira algumas das nossas dicas:

Seja gentil

Muitas vezes, uma indicação para determinado cargo ou empresa parte de uma visão pessoal que aquele contato terá sobre você. Por isso, no seu dia a dia, mesmo que ocupe os cargos mais elevados, cuide do seu relacionamento com as pessoas — sejam elas suas subordinadas ou não.

A frase “gentileza gera gentileza” faz todo sentido no mundo corporativo. Pessoas que não prestam um bom atendimento, que são arrogantes com colegas de trabalho ou autoritárias com os seus colaboradores, dificilmente conseguirão estabelecer um networking profissional.

Participe de eventos profissionais

Congressos, feiras, palestras e reuniões são excelentes locais para conhecer outros profissionais e os próprios líderes de empresas. Mesmo que você já esteja empregado, não deixe de manter contato com essas pessoas, para que elas te conheçam e lembrem de você no futuro.

Se reconecte com os seus contatos conhecidos

Você não precisa sempre ir em busca de novos contatos para estabelecer o seu networking. Amigos de infância ou vizinhos podem ser boas fontes de oportunidades profissionais. Comece se reconectando aos fatos do passado, seja simpático e só então entre no assunto profissional.

Estabeleça uma troca

É muito difícil continuar a relação com alguém do seu networking. Muitas vezes, você cria uma conexão inicial, mas não sabe como manter o contato. Trocar favores pode ajudar a fortalecer esse vínculo. Um conselho sobre a sua área profissional ou até mesmo algo pessoal, te ajudará a ganhar pontos com aquela pessoa.

Deixe a timidez e o orgulho de lado

A timidez e o orgulho são os principais problemas de profissionais que precisam estabelecer um bom networking. Comece a falar com as pessoas, seja no hall de entrada do seu prédio, no transporte público ou no consultório de um médico.

Pedir ajuda não fere a sua dignidade e nem define a sua competência profissional. Todos sabem que a realidade do mercado exige que as pessoas troquem favores, e os seus colegas e amigos sabem que também podem precisar de você no futuro.

Mantenha sua lista de contatos atualizada

Com as demandas do dia a dia, é muito difícil manter uma lista atualizada de todos os seus contatos profissionais. E a verdade é que ninguém pode prever quando precisará acioná-la.

Mas, em algum momento da sua carreira, você precisará dela. Por isso, guarde em uma pasta do desktop ou em um arquivo em nuvem, os números e os e-mails que recebe em congressos e eventos; adicione colegas de trabalho em redes sociais como o Facebook; mantenha contato com os seus amigos antigos, e peça o novo endereço do seu vizinho querido que está se mudando.

Fazer dessas atitudes um hábito te ajudará a não perder tempo procurando ajuda em momentos de necessidade, e ainda poderá fortalecer o seu traquejo social.

Utilize o LinkedIn a seu favor

A internet é uma importante ferramenta para gerenciar os seus contatos. Se você ainda não possui uma conta no LinkedIn, não perca mais tempo. Uma pesquisa feita com 226 recrutadores na plataforma indicou que 42% deles utilizam a rede como fonte de contratações.

É preciso apenas ter cuidado para criar uma imagem mais profissional, que é o objetivo principal do LinkedIn. Outro fator importante é ter um perfil completo, com sua formação, experiências profissionais, competências e causas que apoia.

Não esqueça também de estabelecer conexões com outros usuários, por meio de recomendações. Elas serão as referências positivas sobre você, que ficarão visíveis para as empresas.

Seja paciente

Sabemos que procurar emprego pode ser uma missão desesperadora, mas é importante ser paciente. Não saia ligando para todos os seus amigos, ex-colegas de trabalho, ou da graduação, indicando que você está desempregado.

Foque no relacionamento em primeiro lugar. Seja amável, solícito, demonstre interesse pelo outro e só então entre na questão profissional.

Envie um e-mail ou uma mensagem, por meio das redes sociais, indicando que você está em busca de uma nova oportunidade. Caso eles tenham uma indicação, encaminhe o seu currículo. A partir daí, cabe às empresas te convocarem, ou não, para uma entrevista. Não adianta culpar o seu contato, caso isso não aconteça.

Você já recorreu ao seu networking para assuntos profissionais? Confira também 8 dicas para encontrar um bom emprego na sua área de atuação! E não se esqueça de clicar aqui para ficar por dentro de tudo o que você precisa saber sobre o vestibular.