Como um engenheiro ambiental pode ajudar no combate ao desmatamento? Como um engenheiro ambiental pode ajudar no combate ao desmatamento?

Como um engenheiro ambiental pode ajudar no combate ao desmatamento?

Você já deve ter assistido a filmes como O Dia Depois de Amanhã, nos quais uma catástrofe toma conta do planeta e os personagens têm que se virar para se adaptar a um novo cenário. Embora faça parte de muitos enredos da ficção, esse roteiro está se aproximando da realidade a cada dia que passa.

E não é pra menos: dia após dia, o homem agride a natureza e usa os seus recursos sem a menor preocupação com os impactos da sua ação. Mas como solucionar esses problemas ambientais?

Essa não é uma questão simples de resolver, afinal, a verdade é que não há uma solução mágica. Contudo, existe um profissional que pode dar uma mãozinha no combate aos prejuízos causados ao meio ambiente, principalmente aqueles ligados ao desmatamento: o engenheiro ambiental.

Quer saber como esse profissional pode ajudar no combate o desmatamento? Então, não deixe de ler este post. Aqui, a gente vai discutir sobre o desmatamento no Brasil e como ações baseadas na prática profissional do engenheiro ambiental podem trazer resultados positivos. Acompanhe:

Qual é a situação do desmatamento no Brasil?

Infelizmente, o cenário relativo ao desmatamento no Brasil não é dos melhores. Segundo os dados do Boletim do Desmatamento da Amazônia Legal, elaborado pelo Instituto Imazon, só no período compreendido entre agosto de 2014 a fevereiro de 2015, foi desmatada na Amazônia uma área de floresta nativa com cerca de 1,7 mil quilômetros quadrados.

Para você ter uma noção da dimensão do estrago, vamos “traduzir” esse número para uma informação menos abstrata: essa área desmatada é maior que — pasme! — a cidade de São Paulo.

Ainda segundo os dados do Instituto Amazon, o Brasil ocupa a primeira posição no ranking dos países que mais desmatam em todo o mundo. Nesse caso, ser o campeão é obviamente péssimo: isso implica dizer que a prática de desmatamento no território brasileiro é bastante corriqueira.

Como estamos enfrentando essa difícil questão?

Já deu para perceber o tamanho do problema que o desmatamento representa para o Brasil, certo? Certo. E, afinal de contas, o que o nosso país vem fazendo para enfrentar essa difícil questão?

Há pouco mais de uma década, em 2004, o governo brasileiro lançou o Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAM), cujos objetivos são:

  • combater o desmatamento ilegal na Amazônia;

  • incentivar um modelo de desenvolvimento sustentável na região e, também, no cerrado;

  • e prever metas para a redução da cobertura vegetal.

Esse plano teve um sucesso significativo para a redução dos níveis de desmatamento. No entanto, nos últimos anos, essa redução chegou a níveis constantes, e o desmatamento segue atingindo valores consideráveis.

Outro ponto que demonstra que o país tem muito a crescer em relação ao combate da prática de desmatamento é o número de profissionais que atuam na área de fiscalização ambiental.

O efetivo de órgãos — como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Polícia Ambiental e outros — ainda é muito reduzido frente as dimensões continentais de nosso país. Ou seja: ainda há muito trabalho pela frente!

Ainda assim, temos o que comemorar. O Brasil já conta com um importante sistema de detecção do desmatamento em tempo real, o Deter. Esse sistema consiste num levantamento mensal feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) no qual é possível detectar alguns tipos de áreas degradadas.

O que faz mesmo um engenheiro ambiental?

O engenheiro ambiental pode exercer o seu ofício tanto no meio urbano como no meio rural.

No meio urbano

No meio urbano, ele atua na área de saneamento ambiental, projetando sistemas de abastecimento de água, estudando soluções de esgotamento sanitário e propondo ações na drenagem urbana.

No meio rural

No meio rural, esse profissional é responsável por realizar planejamentos e mapeamentos em diversos tipos de áreas ambientais. Além disso, ele desenvolve estudos de impactos ambientais, indispensáveis para o licenciamento ambiental de diversos tipos de empreendimentos.

Atua ainda elaborando estudos de recuperação ambiental, nos quais propõe medidas preventivas e corretivas a serem adotadas em área ambientalmente fragilizadas.

Como esse profissional pode ajudar no combate ao desmatamento?

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a profissão de engenheiro ambiental e do seu campo de atuação e já sabe que o quadro de desmatamento no Brasil é, de fato, alarmante, ficou mais fácil entender como esse profissional pode ajudar combater o desmatamento, certo?

Não? Então, a gente explica. Por estar em contato direto com órgãos ambientais, atuando e planejando ações para minimizar o impacto das ações danosas do homem ao ambiente, é que o engenheiro ambiental pode ajudar no combate ao desmatamento.

Esse profissional é capaz tanto de detectar soluções para problemas ambientais existentes e em franca expansão, minimizando a ação degradadora do homem no meio ambiente; como é capaz de e propor medidas preventivas, de modo a assegurar que a ação do homem no meio evite, ao máximo, a ocorrência desse tipo de impacto negativo.

Ou seja, é o tipo de atuação em que o aprendizado teórico, transmitido no universo acadêmico, se traduz em ações práticas com resultados positivos para a luta contra o desmatamento.

Inspirador, não é mesmo? Realmente, a Engenharia Ambiental é uma dessas profissões em que a atuação do profissional é capaz de trazer um retorno para a sociedade, uma característica que motiva muitas pessoas a escolherem tal carreira.

Agora que você conhece um pouco mais sobre o trabalho do engenheiro ambiental e como esse profissional pode ser decisivo para a resolução de sérios problemas ambientais — incluindo o combate ao desmatamento — continue com a visita em nosso blog.

Aproveite para saber um pouco mais sobre os impactos da ação humana sobre o meio ambiente e o que a gente pode fazer para melhorar nossa relação com a natureza. Leia o post “6 dicas de sustentabilidade para estudantes universitários”!

Confira, também, a oferta do vestibular do UniBH para o curso de Engenharia Ambiental. Nessa graduação, o objetivo é formar profissionais capazes de equilibrar o desenvolvimento econômico e a sustentabilidade ambiental!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *