Curso de Música Popular Brasileira do UniBH dá ênfase em gestão da carreira artística

Bacharelado reforça lema da instituição mineira que quer proporcionar ao estudante uma experiência universitária muito além da sala de aula 

 

Um curso de música que mescla discussões sobre a produção do som, linguagem e semiótica da música, mas também fala de negócios. Criado há dois anos, o curso bacharelado de Música Popular Brasileira do Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH) chegou com a proposta de oferecer uma formação focada na gestão da carreira e uma reflexão sobre a parte cultural e artística da música. 

O coordenador Rafael Cristelli conta que o mercado local está bem servido de cursos que oferecem uma excelente formação técnica. Porém, segundo ele, ainda há uma dificuldade de os profissionais gerenciarem as carreiras e trabalharem com economia criativa. O bacharelado do UniBH veio preencher esse gap. 

“Claro que recebemos alunos com formação musical, mas o curso tem um desenho para compreensão da música enquanto linguagem, no contexto de produção cultural, levando em conta o alcance que a carreira tem”, afirma. 

O currículo abrange conteúdos como teoria musical, produção em estúdio, performance, linguagens e relações estéticas, integração das artes, apreciação musical, entre outros temas. A duração é de seis semestres, com carga de 2.400 horas. 

Outro diferencial da proposta pedagógica é o fato de ela trabalhar o currículo integrado, sem distinção de teoria e prática, por meio de trabalhos por projetos interdisciplinares. “Traz o desafio para o aluno agir com autonomia e oferece o suporte do professor como mentor em trabalhos baseados em questões reais”, conta o coordenador. 

De forma prática, o conteúdo propõe que o estudante seja habilitado a gravar o próprio material, divulgar seu trabalho nas redes sociais e organizar sua agenda de shows, por exemplo. Para isso, o campus Buritis disponibiliza laboratórios de áudio, estúdios do Centro de Produção Multimídia e outros recursos que permitem que os projetos sejam colocados em prática. 

Professores referências

O bacharelado conta com um corpo docente composto por professores que são referência no campo da comunicação, artes e gestão. Entre eles estão a pianista Joana Boechat, que aos 15 anos foi solista da Orquestra Sinfônica da UFMG, participou de recitais em grandes festivais e foi premiada dentro e fora do Brasil; a jornalista Carolina Braga, que desenvolveu a plataforma Curadoria e foi aluna do UniBH; e o cantor, compositor e instrumentista Rodrigo Borges. 

Cultura além da sala de aula

O curso de Música Popular Brasileira do UniBH tem o DNA do UniBH, a universidade mineira que busca oferecer ao universitário uma experiência que se baseia em arte e cultura, além da sala de aula. 

“Para se ter uma ideia, no espaço de convívio no campus Buritis há um piano, o que gera a possibilidade de uma interação maior entre os estudantes neste período universitário, que é uma experiência tão marcante na vida de todos nós”, ressalta.