Da inscrição para o vestibular ao primeiro dia de aula: como me tornar universitário?

A faculdade já faz parte da vida de estudantes bem antes de eles decidirem qual profissão escolherão para o futuro. Da inscrição para o vestibular até chegar ao primeiro dia de aula, eles enfrentam muitos desafios que envolvem a descoberta de um mundo totalmente novo, cheio de dúvidas e ansiedade de encontrarem o próprio nome em uma lista de aprovação.

Mas, na realidade, o que torna alguém um universitário? É preciso se preparar para isso? Confira as respostas e anote as nossas dicas para ingressar na faculdade, e sobreviver nela, com louvor!

Quem pode entrar para a graduação?

O site Consumoteca desenvolveu uma pesquisa sobre o perfil do universitário brasileiro. O levantamento mostrou que uma característica marcante dos jovens que ingressam em uma faculdade é fazerem parte da nova classe média, contarem com o apoio dos pais para a sua jornada profissional e, em muitos casos, serem os primeiros da sua família a chegarem no ensino superior.

A maioria desses estudantes cursa uma graduação da rede privada de ensino e está começando a ingressar na faculdade cada vez mais tarde, com cerca de 23 anos.

Esse perfil revela uma característica positiva sobre o acesso à universidade no Brasil: ele está cada vez mais democrático. Hoje, já são mais de 7 milhões de universitários no país, espalhados por 32 mil cursos de graduação.

O aumento do número de faculdades, o crescimento dos programas de assistência estudantil e a necessidade de se qualificar têm motivado pessoas de todas as idades e classes sociais a ingressarem no nível superior. E você pode ser uma delas!

Como escolher a universidade certa para você?

Você sabe qual o maior segredo para escolher a universidade certa? Pesquisa. Muita pesquisa.

Muitos estudantes ingressam em uma universidade sem conhecer a sua missão, tradição, avaliação no mercado e qualidade de ensino. Se baseiam apenas em avaliações de terceiros, e acabam se decepcionando com a grade curricular e ensino da instituição.

Além de pesquisar minuciosamente os sites de cada instituição, é preciso vistar feiras estudantis, conversar com antigos estudantes e, se possível, assistir a uma aula experimental em algumas dessas universidades. Antes de tomar a decisão final, avalie os seguintes aspectos:

Avaliação dos cursos no Ministério da Educação

Se focar apenas no nome da faculdade sem pesquisar a avaliação de cada curso de graduação que ela oferece é um erro que pode comprometer a qualidade da sua formação.

Pesquise no MEC qual a nota, de 1 a 5, que os cursos que você deseja cursar receberam, e também fique atento ao desempenho dos estudantes que estão nessa graduação, em exames como (Enade), que avalia a qualidade do ensino das instituições.

Grade curricular

É muito comum que os estudantes se apaixonem por um curso e ignorem o dia a dia naquela graduação. Antes de se inscrever para o vestibular, procure saber quais disciplinas aquela faculdade oferece e se elas podem te ajudar a se qualificar para o mercado de trabalho.

Corpo docente

O corpo docente é a principal definição da qualificação de um ensino. Professores sem uma especialização adequada podem não ensinar tudo o que você precisa saber e desestimular o seu interesse pela universidade.

Uma boa ferramenta de busca é a Plataforma Lattes, que traz todo o currículo acadêmico, as publicações e os projetos de pesquisa de docentes e pesquisadores de todo o Brasil.

Oportunidades que a faculdade oferece

É importante pesquisar também as atividades extracurriculares que as universidades em que você deseja ingressar oferecem. Empresa júnior, centrais de estágios, projetos de iniciação científica, workshops, oficinas e palestras são algumas das oportunidades que boas faculdades oferecem, e complementos valorosos para o seu currículo acadêmico e qualificação profissional.

Qual curso é a sua cara?

Destinar a decisão de toda uma vida profissional a um adolescente que ainda nem concluiu o ensino médio não é uma tarefa fácil. A pouca idade e a pressão para ingressar rápido em uma boa universidade podem ser os ingredientes para a escolha do curso de graduação errado.

Para saber qual profissão é a sua cara, e não correr o risco de se arrepender após ingressar na universidade, é preciso ter um planejamento. O primeiro passo é identificar qual a área de estudo desperta mais o seu interesse e em quais possui maior habilidade — sejam elas Exatas, Humanas ou Biológicas.

Em seguida, faça um teste vocacional. Esse tipo de avaliação profissional é capaz de avaliar as suas características psicológicas, as suas habilidades, e como o seu perfil pode ser direcionado a uma determinada carreira.

Mesmo com o resultado desse teste, leve sempre em conta as suas preferências. Para descobrir a profissão certa, é preciso conhecer a você mesmo e identificar qual a sua vocação. Essa é uma das tarefas mais difíceis na escolha do vestibular, pois requer pesquisa e autoavaliação.

Seu perfil é mais comunicativo? Você prefere trabalhar em grupo? Se sente bem passando horas em um ambiente fechado? Todas essas perguntas são interessantes para que você associe o que é exigido aos profissionais de uma determinada profissão às características que você possui.

Com uma lista das suas competências, defeitos, desejos pessoais e habilidades em mãos, separe as opções de cursos que mais te interessam e colete o máximo de informações sobre ele: mercado de trabalho, grade curricular, remuneração, áreas de atuação dos profissionais, tempo de duração e oportunidades de crescimento naquela área. Para entender melhor essas informações, não deixe de conversar com profissionais que já atuam na profissão há algum tempo.

Uma dica importante para fazer a melhor escolha é seguir as suas próprias expectativas. Tente ignorar as exigências dos familiares, dos amigos e do convívio social e se concentre nos cursos que são a sua cara. Fazer o que se ama é a principal receita para uma carreira bem-sucedida.

Você pode financiar?

O sonho de conquistar um diploma de graduação está mais fácil do que se imagina. A maioria das universidades particulares, além de bolsas, oferece diferentes oportunidades de financiamento estudantil.

Os mais comuns são estabelecidos pelas próprias faculdades em parceria com os bancos, a juros mais baixos. Mas também é possível encontrar dezenas de oportunidades por meio do Ministério da Educação (MEC).

As mais conhecidas, e que têm democratizado o acesso à educação para milhares de estudantes, são o Educa Mais Brasil, que disponibiliza bolsas de até 70% para mais de 10 mil instituições de todo o país, além do Programa Universidade para Todos (ProUni), que já concedeu 1,4 milhão de bolsas desde a sua criação, no ano de 2005.

Nesse caso, o estudante precisa ter cursado o ensino médio em rede pública, ou ter sido bolsista em um colégio particular. A renda familiar máxima deve ser de três salários-mínimos e é indispensável ter feito a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), com nota mínima de 450 pontos e sem zerar a redação.

Outro programa muito procurado pelos estudantes é o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Ele possui a opção de financiar 50%, 75% ou 100% de toda a graduação. Esse tipo de financiamento estudantil permite que o formando tenha pelo menos 18 meses, após a graduação, para começar a pagar o valor restante. Esse investimento pode ser divido em até três vezes, com juros de  3,4% ao ano.

Há ainda as oportunidades diretas e descontos oferecidos pelas próprias universidades, que analisam o histórico escolar ou renda per capita dos estudantes. Converse com a coordenação dos cursos para encontrar as melhores oportunidades para você.

Como se preparar para a prova?

Depois de escolher a faculdade dos sonhos e o melhor curso de graduação, chega a tão temida hora para os estudantes: se preparar para o vestibular. Existem muitas maneiras de estudar para o vestibular ou para o Enem. Cada aluno tem o seu método, suas dicas e o seu tempo de estudo ideal.

Não existe uma única fórmula para se dar bem. O segredo é criar uma rotina produtiva e se dedicar. Estudar sem organização e não ter um ambiente silencioso e propício pode tornar o aprendizado ineficaz. Confira as nossas dicas campeãs para se preparar para a prova dos vestibulares:

Monte um cronograma de estudos

Em uma agenda, anote todas as matérias que você precisa estudar diariamente, e quais os melhores horários. O método ideal é que você divida as disciplinas pelo grau de dificuldade, começando pelas mais complicadas e terminando com as mais fáceis.

No próprio celular, é possível criar um calendário e organizar todo o conteúdo que precisa, em aplicativos como o Pocket, Calendário Google e Evernote.

Respeite a sua rotina

Não adianta estudar durante um dia e se entregar a procrastinação no resto da semana. Assim que voltar das aulas da escola ou do cursinho pré-vestibular, reserve uma hora para o almoço ou descanso e inicie a sua rotina de estudos. Não deixe de fazer pausas de 5 a 10 minutos para descansar e relaxar a mente.

Reserve um horário para a redação

Um dos maiores erros de estudantes que estão se preparando para os vestibulares é não treinar a redação. É preciso estar atento aos noticiários, jornais e revistas impressas e online, aos possíveis conteúdos da prova e às regras gramaticais.

Por, pelo menos, 30 minutos por dia, pratique com os temas de redações de vestibulares anteriores ou com os assuntos da atualidade que podem ser exigidos nas provas. Os mais falados agora são impeachment, feminismo, violência contra a mulher, Olimpíadas, dentre outros.

Conheça o tipo de prova das faculdades

Toda prova possui perguntas e assuntos que são mais comuns ano após ano. Estudantes que conhecem as provas de vestibulares anteriores conseguem se preparar melhor e entender os conteúdos que são importantes, ou não. Em alguns sites das universidades ou em fóruns pela internet, é possível encontrá-las corrigidas pelos próprios professores.

Reúna material de apoio

Lista de exercícios, simulados, materiais de apoio de cursinhos pré-vestibulares, conteúdos sobre diversos assuntos e até aulas online são essenciais para quem está se preparando para o vestibular. E o melhor é que você pode encontrá-los facilmente em sites educacionais. Por isso, faça da internet a sua aliada na hora dos estudos.

Elimine as distrações

Na hora dos estudos, escolha um local silencioso e fique longe das distrações, como a televisão, as redes sociais, os bates papos na internet ou o celular. Uma olhada rápida no Facebook pode comprometer todo o seu planejamento e roubar a sua concentração.

Utilize as horas livres para aprender mais

A maioria dos vestibulares busca extrair outras habilidades dos estudantes, que não sejam aquelas ligadas ao cronograma exigido para a prova, por meio de conhecimentos gerais, capacidade de percepção e índice de leitura.

Aproveite suas horas livres para ler, assistir noticiários e aprender um novo idioma. Qualquer aprendizado, por mais irrelevante que pareça, pode ser o diferencial necessário para que você vença a concorrência.

Você passou! E agora?

Encontrou o seu nome na lista de aprovação? Parabéns! Você deu o primeiro e mais importante passo da sua vida profissional. Agora, começa a parte prática, que envolve burocracia, reunião de documentos e muito cuidado.

Para escolher a universidade certa, é preciso avaliar uma série de fatores como proximidade de casa, posicionamento no mercado, avaliação do curso de graduação, programas e atividades oferecidas, a grade curricular e flexibilidade dos horários, além da aceitação e reconhecimento dessa instituição no mercado de trabalho.

O mesmo vale para quem se inscreveu para uma faculdade em outra cidade, em outro estado e, até mesmo, em outro país. É preciso avaliar uma série de fatores, que envolvem a ruptura de laços emocionais, ter que se “virar sozinho” e, principalmente, um alto investimento financeiro.

Já que além de gastos comuns com livros, documentação, xerox e alimentação, estudantes que precisam se mudar para longe de casa, precisam investir em hospedagem, transporte e o pagamento de contas, como água, luz, água e supermercado.

Para quem não possui uma renda muito ampla e que depende dos pais para se sustentar nos primeiros anos da universidade (uma realidade muito comum para a maioria dos estudantes), sair de casa se torna difícil, mas não é impossível. Verifique se a sua universidade conta com bolsas sociais, restaurantes universitários ou hospedagens coletivas em repúblicas ou apartamentos para os estudantes.

Também é preciso ficar atento ao período de matrícula. Cada universidade possui uma lista diferente de documentos exigidos, mas, na maioria delas, eles precisam ser originais e se relacionam diretamente a dados pessoais e escolares. Dentre os mais comuns estão:

  • Certidão de Nascimento ou Casamento;

  • RG e CPF;

  • Título de eleitor, para os maiores de 18 anos, além de comprovantes da última votação;

  • Quitação das obrigações com o Serviço Militar (para o sexo masculino);

  • Certificado de conclusão do Ensino Médio;

  • Histórico Escolar;

  • Comprovante de residência.

É importante ficar atento à data da matrícula e ao prazo de entrega da documentação ou você pode perder o seu direito à vaga, algo que te exigiu tanto tempo e esforço para conseguir.

Está oficialmente na graduação? E aí?

Papelada entregue, matrícula feita, finalmente você se tornou um estudante universitário. Provavelmente, já está ouvindo todas as histórias sobre a diferença entre a faculdade e o ensino médio. E elas estão certas.

Depois de cumprir horários rígidos e lidar com atividades impostas por toda a vida, você vai se deparar com uma realidade bem diferente na universidade. Não haverá ninguém te obrigando a ir para as aulas, realizar as atividades, estudar para as provas e não é preciso pedir permissão para sair da aula para ir ao banheiro, por exemplo.

Um paraíso, não é? Mas toda liberdade vem acompanhada de responsabilidade, e elas serão redobradas na faculdade. Afinal, o seu desenvolvimento profissional só dependerá de você.

Nessa nova fase da vida, você terá todo o compromisso em ir para as aulas, participar das atividades extracurriculares, buscar os livros e autores citados durante as aulas, tirar xerox do material de apoio ao estudo, tomar a iniciativa de procurar estágios, vagas em empresas e até escolher as disciplinas que estarão na sua grade curricular. E esse compromisso não será por obrigação, mas sim, pela vontade de se qualificar e se tornar um bom profissional.

Como se preparar para o primeiro dia de aula?

O primeiro dia de aula é assustador em qualquer fase da vida. E acredite, não será diferente na universidade. O campus universitário costuma ser grande e você pode se sentir meio perdido. Por isso, já no primeiro dia, busque os locais essenciais do campus, como a biblioteca, a secretaria ou a coordenação do curso, os banheiros e o refeitório ou cantina.

Tentar localizar esses espaços é também uma boa desculpa para fazer amizades com os veteranos. E quando se trata de fazer amizades, não se intimide. É bem provável que a maioria dos seus colegas de turma sejam pessoas também recém-saídas do ensino médio, e provavelmente, estarão tão nervosas e confusas como você.

Aproveite também as atividades de boas-vindas do primeiro dia para fazer amizades. Elas são geralmente promovidas por veteranos ou pela própria universidade. Outra dica importante é não ter medo de tomar iniciativa. Mas, caso não consiga se aproximar de ninguém no primeiro momento, dê tempo ao tempo.

Tenha também em mãos, um caderno ou agenda para anotar as referências e conteúdos apresentados durante as aulas. Você pode achar estranho, mas diferentemente do colégio, na universidade, os professores não reservam muito tempo para apresentações e podem falar coisas importantes para a matéria já na primeira aula.

Em algumas faculdades, o trote pode acontecer já no primeiro dia. Se você não se sentir confortável com as brincadeiras ou não quiser fazer parte, não se sinta obrigado a nada. Alguns trotes podem ser muito violentos, envolver ações machistas ou que ofendam a sua integridade.

É muito comum achar que ficar de fora desses momentos fará com que as pessoas não gostem de você. Acredite em nós, a universidade é muito diferente do colégio. Serão quatro ou cinco anos em que você conhecerá pessoas de todos os tipos e todas as classes sociais, com diferentes características, qualidades e posicionamentos. Com certeza, você não se sentirá “um estranho no ninho”.

No mais, aproveite! Logo em breve, antes que você se dê conta,  a pessoa responsável por recepcionar os novos universitários será você mesmo.

Qual o primeiro passo para a vida profissional?

Você já conseguiu ingressar na universidade dos seus sonhos e agora é só alegria? Calma lá! Lembre-se que esse é apenas o primeiro passo da sua jornada profissional.

Os anos que você passará na graduação são o momento perfeito para criar um plano de carreira e traçar metas profissionais. Ele te ajudará a definir objetivos profissionais realistas, suas competências, as áreas mais aquecidas do mercado e como você pode se qualificar para elas — por meio de especializações, estágios ou cursos de idiomas.

Nossa dica para criar um plano de carreira é que você comece listando as oportunidades promissoras para o futuro, suas maiores habilidades, aspectos e áreas de estudo que ainda precisa melhorar. E que estimule um prazo para se qualificar.

Esse planejamento exige autoconhecimento, pesquisa e responsabilidade, e uma idealização de todas as etapas que você precisará passar para chegar aonde deseja profissionalmente.

Não estamos pedido que você preveja, e se preocupe, com tudo o que acontecerá na sua carreira ou no mercado de trabalho daqui a alguns anos. Essa é uma missão impossível até mesmo para quem já atua há décadas na mesma profissão.

Traçar essas metas, revisá-las e mudá-las ao longo da sua graduação é uma maneira de entender como funciona realmente a sua profissão, quais os seus pontos fortes e fracos, e o que é preciso para se tornar, além de um profissional de sucesso, uma pessoa que se orgulha de si mesma.

Como já havíamos adiantado no início do nosso post, da preparação para o vestibular até o primeiro dia de aula, é preciso trilhar uma jornada de disciplina, sacrifícios, pesquisa e determinação.

Antes mesmo de escolher o seu curso, você deve começar a pensar como um universitário, se preparar para a vida adulta e para as responsabilidades trazidas pela graduação.

Mas nós te garantimos que todo esse esforço será válido e a graduação poderá se transformar em um dos melhores momentos da sua vida!

E então, conseguiu tirar todas as suas dúvidas sobre a entrada na faculdade? Decidiu que isso é para você? Então, leia tudo o que você precisa saber sobre o vestibular. Não perca a oportunidade de se tornar um universitário!