Entenda como funciona a variação cambial Entenda como funciona a variação cambial

Entenda como funciona a variação cambial

Você já ouviu falar em variação cambial? Provavelmente, você sabe que essa expressão aparece frequentemente nos noticiários econômicos. No entanto, saber exatamente o que isso significa é um pouco mais difícil, não é mesmo?

Neste post, você entenderá como funciona a variação cambial, verá quais são os fatores que influenciam a alta e a baixa do dólar e o que esse indicador influencia no seu dia a dia.

O que é a variação cambial?

Pode parecer um conceito muito longe da sua realidade, mas ele tem tudo a ver com as compras que você faz. Por exemplo, quando você viaja para outro país e faz compras utilizando o cartão de crédito, o valor desses produtos pode modificar graças à variação cambial.

Ou seja, o valor do dólar no dia de fechamento da fatura do cartão de crédito pode ser diferente daquele que estava no dia que você fez ou pagou as compras. O resultado é que você pode pagar mais pelo produto, se o dólar subiu, ou menos, caso o dólar tenha abaixado. Isso também influencia no valor de produtos importados vendidos aqui no Brasil — e, muitas vezes, paga-se mais porque o dólar subiu.

Mas qual o conceito de variação cambial? É a diferença que ocorre no valor do produto, comparando a data de compra e o dia de pagamento. Essa variação acontece graças ao fluxo cambial, ou seja, a desvalorização ou a valorização de determinada moeda em relação a outra.

Quais são os fatores de influência?

A variação cambial não ocorre aleatoriamente. Apesar de ouvirmos todos os dias nos noticiários que o dólar sofreu queda ou alta e que fechou em determinado valor, existem diversos fatores que influenciam nessa movimentação normal da economia.

Liquidez internacional

Ocorre quando há muitos recursos (dinheiro) disponíveis no mercado internacional, que serão utilizados para investimentos, mas faltam oportunidades. É basicamente a regra de oferta e demanda: muita oferta (de dinheiro) e pouca demanda (de investimentos).

Um dos motivos que ocasionam a liquidez internacional são os juros baixos nos Estados Unidos, país com maior influência econômica no mundo. Quando isso acontece, os investidores buscam opções mais rentáveis e, consequentemente, a liquidez internacional fica comprometida.

Cenário econômico mundial

O cenário econômico de alguns países do mundo é crucial para a variação cambial. As nações com mais influência nesse sentido são Estados Unidos e China, que têm grande demanda de importações.

Assim, se o dólar é desvalorizado, crescem as importações e diminuem as exportações. O contrário também é válido. Esse cenário de tensão constante pode ocasionar o aumento do valor do dólar, o que impacta na oferta de produtos importados. A partir daí, a variação cambial começa a se equilibrar.

Balança comercial

O total de importações e de exportações também influencia na balança comercial, que, por sua vez, impacta na variação cambial. Quanto mais positivo for o saldo da balança comercial (ou seja, quanto mais dólares entrarem no país), mais valorizada está a moeda e, portanto, mais alta é a variação cambial.

Preços das commodities

As commodities são artigos comercializados que não passam por alterações. Alguns exemplos são frutas, cereais e legumes (chamadas commodities agrícolas); minerais como minério de ferro, petróleo e ouro (commodities minerais); energia, madeira e água (commodities ambientais); e as moedas (commodities financeiras).

Essas commodities também passam por processos de importação e de exportação. Por isso, a alteração no valor delas impacta diretamente na variação cambial.

Taxas de juros

As taxas de juros do país e as internacionais também influenciam diretamente a variação cambial. Por exemplo, se o Brasil tem uma taxa de juros maior do que os Estados Unidos, um investidor pode optar por investir em negócios brasileiros.

No entanto, essa opção foi feita graças à alta taxa de juros, já que os títulos da dívida pública remuneram mais que no país do tio Sam. Com o passar do tempo, essa situação pode inibir outros investimentos, porque o país pode não acompanhar a necessidade de produção e de inovação.

Risco-país

O risco-país mostra o grau de instabilidade de determinada nação. Quanto mais alto for este índice, mais perigoso é para o investidor aplicar seu dinheiro naquele país. Quanto menor for o índice, mais investidores serão atraídos e haverá mais dólares circulando no mercado.

Assim, o risco-país influencia a alta e a baixa do dólar, o que ocasiona a variação cambial.

Intervenção do Banco Central

O Banco Central do Brasil (Bacen) pode atuar diretamente no mercado financeiro para tentar controlar as taxas de juros, a inflação e a variação cambial. Por isso, o Bacen pode inserir mais dólares no mercado ou retirá-los.

Existem diversas formas de o Bacen influenciar a variação cambial. As mais comuns são a compra e a venda de dólares, a venda de títulos públicos em dólares, a redução ou o aumento de um tributo (um imposto, por exemplo), o aumento ou diminuição da taxa Selic (taxa básica de juros) etc.

Em resumo, há diversos fatores que podem ocasionar a queda ou a alta do dólar. No entanto, a regra geral é: se tem muito dólar disponível no mercado de determinado país, a moeda dos Estados Unidos é desvalorizada. Se existe pouca oferta, o dólar é valorizado.

Qual o efeito da variação cambial na nossa moeda?

Desde 2015, o real vem sofrendo uma grande desvalorização perante o dólar. Se a moeda americana sempre esteve mais valorizada que a brasileira, a situação agora é de uma alta desvalorização do real, situação ocasionada por alguns motivos.

Um deles é o cenário político e econômico. A situação conturbada e os ajustes nas contas fiscais públicas do país causam uma alta do dólar. Esse processo aumenta o preço dos produtos importados, eleva o valor pago em viagens ao exterior (não só das compras feitas com cartão de crédito, mas também o preço de passagens, estadia em hotéis etc.), aumenta a inflação (que precisa ser controlada por meio de outra atitudes do governo), entre outros.

Além do cenário econômico e político brasileiro, a variação cambial também sofre influência da crise em países europeus e graças ao fortalecimento da economia dos Estados Unidos.

Entender como funciona a variação cambial é importante não só para os seus estudos, mas também para o seu conhecimento pessoal. Dessa forma, pode se preparar melhor para a prova e entrar no ensino superior.

Agora que você já entende como funciona a variação cambial, que tal ver 8 dicas para se preparar para o vestibular? Acesse o post e prepare-se!