Líder ou chefe? Entenda como o posicionamento correto ajuda na sua carreira Líder ou chefe? Entenda como o posicionamento correto ajuda na sua carreira

Líder ou chefe? Entenda como o posicionamento correto ajuda na sua carreira

Você prefere ser líder ou chefe? Sabe a diferença entre os dois? Segundo o dicionário, o líder é a pessoa que exerce influência sobre os comportamentos, os pensamentos ou as opiniões dos outros. Já o chefe, por definição, é um funcionário ou empregado que dirige um serviço, um diretor.

Percebe como o líder está muito mais relacionado à personalidade de quem está na liderança e o chefe corresponde apenas ao cargo que ele ocupa? Chefe e líder tem a principal diferença na influência que cada um tem em seus funcionários.

Se você gostou mais do líder, vem com a gente que vamos te ensinar como ser um bom líder e como subir na carreira.

As principais diferenças entre um líder e um chefe

Em geral, os chefes são pessoas centralizadoras, distantes da equipe e sem muita empatia. Sabe aquele gestor que nunca está por perto ou, quando está, não faz muita diferença na rotina de seus subordinados? Ou, pior ainda, aquele que mais atrapalha do que ajuda? Esses são típicos perfis de chefes ruins.

Para fugir desse estereótipo, é essencial que o gestor tenha paciência, esteja mais presente e aprenda a delegar funções a seus funcionários. Essas são algumas das principais características de um perfil de liderança. Muitas vezes, o profissional tem facilidade para uma gestão mais próxima, descentralizada. Porém, mesmo quem não nasce com o dom da liderança pode trabalhar para chegar a esse ponto.

Para isso, os primeiros passos devem ser:

  • aprender a ouvir antes de falar;

  • aceitar críticas e dar feedbacks;

  • respeitar e valorizar a equipe (sem ela, não há gestão);

  • criar uma relação de confiança mútua com o time;

  • dividir mais que tarefas, mas também as metas e angústias por trás de cada trabalho.

A seguir, falamos um pouco mais sobre alguns desses pontos.

A relação com a equipe

Para o chefe, seu time é composto por pessoas que devem obedecê-lo a qualquer custo, pensando sempre nos objetivos da empresa. Já o líder entende que os funcionários também têm seus objetivos pessoais e tenta inserir isso nas tarefas do dia a dia de seus liderados.

Outra diferença é que, ao contrário do chefe, o líder se sente parte da equipe porque ele também executa funções, não apenas as delega. Ele se esforça para estar a par de tudo que a equipe está fazendo e se coloca sempre à disposição para ajudar. As pessoas da equipe se tornam seu time mesmo, inclusive criando uma excelente rede de networking para o futuro.

O envolvimento e a parceria do gestor com o time ajuda a unir as pessoas e têm o poder de fazê-las se sentirem parte do processo. O resultado é uma equipe estimulada e motivada a trabalhar com responsabilidade e comprometimento com os resultados. Além disso, funcionários satisfeitos com o trabalho tendem a permanecer nele, diminuindo assim a rotatividade dentro da empresa.

A habilidade de saber cobrar

É comum que líderes de equipe, por se tornarem parte dela, acabem extrapolando barreiras de trabalho e de amizade. É preciso tomar cuidado com essa linha tênue, pois o bom gestor é o que sabe a hora de motivar a equipe e estar ao lado dela, mas que também consegue cobrar e ser mais rígido quando necessário.

Para os chefes, é mais fácil exercer essa função porque os funcionários se sentem intimidadas por ele. Porém, nem sempre há garantias de que as pessoas vão obedecer suas ordens. E, mesmo que o façam, pode ser com má vontade ou “de qualquer jeito”.

Para que os funcionários executem tarefas difíceis ou maçantes, o ideal é que o líder saiba explicar pra eles a necessidade daquilo. Além disso, dividir as tarefas desse tipo entre a equipe é essencial para que nenhum funcionário se sinta desprivilegiado.

Os feedbacks constantes

Por não saber executar o trabalho da própria equipe, o chefe pode ser criticado por seus subordinados pelas costas e nem sempre recebe esse feedback diretamente, ficando assim “cego” para seus próprios defeitos.

Já o líder abre o jogo para o diálogo com a equipe. Ele tanto recebe feedbacks de sua performance quanto pode auxiliar seus funcionários a melhorar. É importante que os feedbacks para a equipe sejam dados individualmente quando negativos e coletivamente quando positivos. Quando for criticar, o líder deve dar exemplos concretos de falhas e, logo em seguida, sugestões de como a pessoa pode melhorar.

Da mesma maneira, quando receber feedbacks negativos da equipe sobre ele, o gestor deve interpretar a crítica de forma construtiva e buscar formas de melhorar a partir dela. Um jeito de incentivar os funcionários a mostrarem suas opiniões é criar pesquisas de percepção da equipe, do trabalho e da liderança. A partir dos resultados delas, será possível traçar rotas para melhoria do ambiente de trabalho.

A capacitação e o aprimoramento

Ao aceitar sugestões da equipe para melhorar seu trabalho, o líder admite que não sabe tudo e está disposto a mudar sempre que necessário. Ele evita a estagnação fazendo cursos, assistindo palestras, lendo textos de sua área etc.

Como ele valoriza a equipe, os incentiva a fazer o mesmo e, ainda, instiga a criatividade e a inovação no dia a dia oferecendo desafios a seus liderados. Sempre que um funcionário recebe uma nova responsabilidade e precisa adquirir conhecimento para executá-la, tanto ele quanto seu líder crescem profissionalmente.

Essa é outra grande diferença entre o líder e o perfil de chefe tradicional. Ao contrário do segundo, o primeiro sabe que não é superior a ninguém. A posição de gestão pode ser passageira. É importante ter isso em mente e agir sempre com humildade. Em vez de intimidar a equipe tentando exercer papel superior como muitos chefes fazem, o líder se vê como igual aos demais. O poder não sobe a sua cabeça em hipótese alguma.

Ser líder ou chefe é uma questão de postura. O ideal é que o profissional não espere o momento da promoção para se posicionar como líder da equipe. Esse processo deve começar naturalmente. Liderando seus colegas de trabalho, as chances de você ser notado por seus superiores e eles te oferecerem uma vaga de gestão são muito maiores. Esse é o tipo de escolha que pode alavancar sua carreira.

Agora, se você esperar para demonstrar liderança apenas quando subir de cargo, as chances de ser apenas chefe e não líder aumentam consideravelmente. Se você quer ter sucesso na carreira, deve aprender como ser um bom líder e agir assim desde seu primeiro emprego ou estágio.

Para quem ainda está na faculdade, recomendamos ler nosso texto sobre como planejar sua carreira antes de começar a vida profissional.



Inscreva-se