Networking na faculdade: Como isso funciona? E por que investir? Networking na faculdade: Como isso funciona? E por que investir?

Networking na faculdade: Como isso funciona? E por que investir?

Você já ouviu falar no termo QI? O famoso “Quem Indica” é muito usado no mercado de trabalho para dizer que, além de formação, currículo e conhecimento prático, muitas vezes os recrutadores escolhem profissionais por meio de indicações. Muitos criticam a técnica, mas a verdade é que, em algumas áreas, ela usada em grande parte dos recrutamentos.

Para você entender como funciona, pense em serviços que você utiliza na sua casa. Em geral, você busca indicações de amigos e de familiares para um bom eletricista ou encanador. Afinal, você não quer deixar um profissional sem referências entrar na sua casa, não é mesmo?

A mesma lógica, muitas vezes, funciona nas empresas. Se um gerente ouve de um colega que fulano de tal seria excelente para uma vaga, já o chama para uma entrevista. É claro que existem processos seletivos mais amplos, com provas inclusive. Mas, em geral, a regra da indicação funciona em quase todos os setores.

Sendo assim, é fundamental que você conheça muitas pessoas na sua área de trabalho, para que elas possam se lembrar de você e te indicar para uma vaga que combine com seu perfil. Isso é networking.

Como construo minha rede de contatos?

Você já entendeu a importância do networking e agora deve estar se perguntando “Tá, mas por onde eu começo?”. Não se assuste! Provavelmente, você já tem um networking criado e nem sabe.

Pense nos seus colegas de sala, nos professores ou nos seus colegas de trabalho e chefes. Cada novo ambiente em que você se insere é um lugar com diversas pessoas com as quais você pode se relacionar. E são essas pessoas que formam seu networking.

Converse com elas, troque experiências e, principalmente, seja gentil. As pessoas vão querer indicar alguém de quem gostam. Outra dica importante é mostrar suas qualidades profissionais. As pessoas ao seu redor devem saber em que você se destaca para se lembrarem dessas qualidades na hora de te indicar para uma vaga.

Hoje, existem até cursos para desenvolver técnicas de desenvoltura social. Se você for muito tímido, por exemplo, pode procurar uma terapia que te ajude nesse processo. O importante é começar e nunca parar.

Por onde começo?

Na graduação ou na pós-graduação, existem pessoas com, pelo menos, um interesse em comum com você: a sua área de estudos. Esse já é um primeiro passo que pode aproximá-lo de colegas e professores e começar a desenvolver seu networking profissional.

É muito comum ver casos de colegas de sala que se tornam amigos e até sócios no futuro. Manter esses laços na universidade é um ótimo primeiro passo para quem quer ter sucesso na carreira.

Mas calma! Não force a barra com as pessoas. Networking tem a ver com uma relação construída à base de mútuos interesses, então, é essencial conversar com as pessoas e ver em que pontos vocês se parecem. Se tem objetivos profissionais semelhantes, se gostam das mesmas coisas. Em geral, quem te indicará para uma vaga no futuro vai ser alguém que tem afinidade com você.

Então, aproveite as pausas entre as aulas ou o happy hour para se conectar com as pessoas. Quem se relaciona bem com seus colegas tem mais chances de ser indicado para uma vaga futuramente.

Em quais setores ele é mais importante?

Nas áreas de Humanas, em que o conhecimento e as habilidades do profissional são mais subjetivos, em geral, as vagas são preenchidas por meio de indicações. Sendo assim, é fundamental para quem é dessa área investir no networking.

Vamos supor que você é um fotógrafo, por exemplo. Se você não divulga suas fotos e mostra seu portfólio apenas para clientes que vêm até você, está perdendo diversas oportunidades. Coloque suas fotos nas redes sociais e fale sobre o seu trabalho com amigos e familiares. Só esses passos já podem te levar a novas oportunidades.

A regra de se autopromover serve para todas as profissões, inclusive as que não são da área de Humanas. Um médico, por exemplo, ganha novos pacientes por meio de indicações. E, para recebê-las, basta executar bem sua profissão, sendo gentil com seus pacientes. Ou seja, seguir as mesmas regras da construção de networking.

Relacionar-se bem é fundamental em qualquer área da sua vida: na sua família, nos seus círculos de amizade e, também, nos seus estudos. Seja educado, atencioso e gentil com todas as pessoas com quem tiver contato na universidade: diretores, professores, colegas e funcionários.

Como aciono o meu networking?

Sua rede de contatos profissionais precisa ser cuidada ao longo de toda a sua carreira para que ela possa funcionar. Não adianta tentar pedir emprego para alguém com quem você não fala há séculos. O contato deve ser constante para não soar como favor ou pedido. O ideal é que as pessoas se lembrem de você e te indiquem sem que você precise pedir.

Mas, se você estiver desempregado, não custa também avisar aos seus amigos, familiares e colegas ou ex-colegas. Entre em contato com essas pessoas e comente que está à procura de vagas. Peça para a pessoa te avisar caso saiba de alguma oportunidade, mas sem pedir emprego na cara de pau. Dessa forma, suas chances aumentam de ser chamado para uma entrevista.

Da mesma forma, sua rede de contatos precisa ser uma via de mão dupla. Lembre-se que você pode pedir ajuda a ela, mas ela também pode vir até você. E isso é maravilhoso! Pense em quantas pessoas você poderia ajudar, indicando-as para uma vaga específica ou para um emprego que tem tudo a ver com elas.

O networking é tão importante para a sua carreira quanto sua formação e suas experiências. Aprenda a usá-lo em seu favor, inclusive buscando pessoas com quem já trabalhou ou estudou quando precisar de indicações para vagas em sua própria empresa.

Seu networking é um investimento — em amizades, em contatos, em oportunidades e em trocas. Por isso, aproveite todas as chances que você tiver para ampliar essa rede.

Se você está na faculdade e já quer começar sua rede de contatos desde cedo, não deixe de conferir as 9 dicas para um bom networking na faculdade que escrevemos pra você. Com elas, você vai ter um excelente networking mais cedo do que imagina.