Projeto ‘Educa Web Teens’ oferece orientação sobre saúde a adolescentes em contexto de vulnerabilidade

Ação prevê criar uma série de vídeos e oficinas educativas que abordem temas como sexualidade, consumo de álcool e drogas, e distúrbios alimentares

 

Alunos dos cursos de graduação em Medicina, Enfermagem, Nutrição, Fisioterapia e Psicologia do Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH) se reúnem neste semestre para o projeto de extensão Educa Web Teens. 

A ação prevê criar uma série de vídeos e oficinas educativas que abordem temas na área da Saúde ligados ao universo adolescente, como sexualidade, consumo de álcool e drogas, e distúrbios alimentares, entre outros assuntos que os próprios atendidos terão liberdade para solicitar. O público-alvo são moradores de comunidades com altos índices de vulnerabilidade social na região de Belo Horizonte. 

A professora do curso de Enfermagem Flávia Andrade, que coordena o projeto, lembra que atividades educativas são comuns dentro de programas como o Saúde da Escola, mas agora os universitários do UniBH têm o desafio de fazer uma implementação on-line. Além disso, o público adolescente também tem características próprias, como ser mais desafiador, exigindo que o trabalho seja ainda mais focado e interessante.

“Para trabalhar com a população, independente do ciclo de vida, o aluno precisa desenvolver estratégias educativas, isso faz parte das habilidades da profissão. Atuar com adolescentes é desafiador, porque eles são questionadores. Mas, por outro lado, o universitário olha para essa necessidade e vai aprendendo a lidar com ela”, afirma Flávia. 

Inspiração veio de versão para crianças

O projeto foi inspirado no Educa Web Kids, uma versão para crianças realizada no semestre passado. Seu objetivo, a princípio, era o de trabalhar as formas de prevenção do contágio do coronavírus com crianças atendidas em creches localizadas em regiões de alta vulnerabilidade na cidade de Belo Horizonte. 

Entretanto, a professora Flávia Andrade explica que durante o projeto surgiu a necessidade em falar mais sobre a questão dos acidentes domésticos na infância, até por conta de as crianças estarem passando mais tempo em casa. 

Dessa forma, os alunos dos cursos de Enfermagem, Medicina e História usaram seu conhecimento técnico para criar um vídeo interativo utilizando como pano de fundo o clássico infantil “Cachinhos Dourados e os Três Ursos” para falar sobre primeiros socorros. Trata-se da história de uma menina que estava com fome e entrou na casa de uma família de ursos para comer. Na adaptação, a mamãe ursa explica para o filhote os perigos do fogão e como acionar as autoridades no caso de emergências; e a menina Cachinhos Dourado queima as mãos em uma tigela ao comer um mingau muito quente. 

O conteúdo foi disponibilizado para dez creches da região centro-sul da cidade de Belo Horizonte, cumprindo o papel de conscientizar de forma lúdica sobre os perigos dos acidentes domésticos na infância.

Saúde e Educação são pilares da extensão

As atividades extensionistas devem compor no mínimo 10% da carga horária dos cursos de graduação, segundo diretriz do Ministério da Educação. Elas têm objetivo de levar impacto social às comunidades onde as instituições estão instaladas, expandindo as paredes das salas de aula. 

No UniBH, Saúde e Educação estão dentro dos segmentos principais que abarcam as extensões. Outros eixos prioritários dos trabalhos são: Economia Criativa e Comunicação; Gestão e Economia; e Engenharia.