Três oportunidades para desenvolver seu lado empreendedor ainda na graduação

Currículo, infraestrutura e evento de pré-aceleração de startups formam tripé de fomento à inovação e economia criativa dentro do UniBH

Empreender não é simples. Tirar uma ideia do papel, colocá-la em prática e fazê-la virar um negócio exige habilidades técnicas e competências socioemocionais importantes, como criatividade, capacidade de trabalhar em equipe, resiliência e autocrítica, além de muito estudo e dedicação.

Mas com as mudanças no mundo do trabalho, algumas até aceleradas pela pandemia, o quesito de empregabilidade ficou muito mais amplo.

Tanto o currículo dos cursos de graduação do Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH) quanto a infraestrutura disponível no campus Buritis oferecem uma série de possibilidades que fomentam a inovação e o empreendedorismo.

Durante toda a trajetória acadêmica, o aluno pode contar com ferramentas tecnológicas e professores preparados para ajudá-lo a desenvolver sua veia empreendedora. Ou até entender se, de repente, esse não é um caminho que ele queira trilhar.

Confira três destaques de metodologia e da infraestrutura do UniBH que colaboram com essa aprendizagem e com o autoconhecimento do aluno:

Metodologias ativas e currículo inovador
O currículo do UniBH, assim como de todas as instituições da nima Educação, é focado no uso de metodologias ativas, que permite a formação de um profissional muito mais autônomo e preparado para empreender – caso seja uma escolha para ele.

Com os métodos ativos, o estudante é estimulado a buscar respostas e soluções para os problemas, o ensino é baseado em casos reais e a aprendizagem é construída de maneira mútua entre aluno e professor. Não há um único detentor do conhecimento.

Desde o primeiro semestre do curso, o estudante terá sua carreira guiada pela plataforma Vida & Carreira, que garante, com o acompanhamento de professores, o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias para seu projeto de vida.

Design Lab

A infraestrutura da universidade também está alinhada a este propósito. Dentro do campus Buritis, há um importante espaço utilizado para fomentar ações ligadas à inovação, tecnologia, empreendedorismo e economia criativa: o Design Lab. O local de 700 metros quadrados está equipado com impressoras 3D, máquinas de costura e marcenaria, e itens de robótica que permitem o desenvolvimento de protótipos e muitas atividades mão na massa.
O Design Lab também abriga um coworking, funciona como incubadora para startups, oferece cursos e sedia eventos sobre temas do universo que permeiam a economia criativa.

Ânima Nest

Além de currículo e laboratórios voltados à inovação, o aluno do UniBH pode participar do nima Nest. Trata-se de um programa de pré-aceleração de startups das instituições da nima Educação. Os participantes precisam apresentar um projeto e correr em um percurso formativo que inclui três workshops, atendimentos com o agente Nest (que pode ser um professor ou profissional com notoriedade no mercado) e um pitch (apresentação).

Na reta final, cada regional faz uma seleção na etapa semifinal. Os dois melhores trabalhos disputam a final, na etapa nacional, e têm de encarar o pitch final formado por profissionais do mercado. Os três primeiros colocados recebem remuneração em dinheiro.