Medicina UniBH contribui com ações do Brasil Conta Comigo

Com a situação de pandemia vivenciada pela população brasileira, o governo federal lançou o programa “O Brasil Conta Comigo”, que convocou estudantes da área da saúde para, voluntariamente, apoiarem as ações de enfrentamento ao SARS-Cov-2. No curso de Medicina do UniBH, 4 alunos foram selecionados para participar das atividades e estão atuando na Atenção Primária à Saúde, em Unidades de Pronto Atendimento e hospitais da capital.

 

Entre os estudantes selecionados, as alunas Fernanda Daldegan dos Santos e Isabela Evangelista, do 11º período, estão atuando no combate ao novo coronavírus e compartilharam um pouco da sua experiência diária. Confira:

 

Fernanda Daldegan dos Santos, aluna do 11º período

 

“O objetivo do programa me motivou e despertou interesse em conhecer melhor como seria a realidade de uma vivência durante uma pandemia, a qual grande parte de nós nunca vivenciou. Lidar com o paciente e seus familiares em um momento como esse requer muita dedicação dos profissionais de saúde e ter a oportunidade de viver essa experiência é realmente único. A participação no programa tem sido enriquecedora. O atendimento ao paciente juntamente com as discussões dos casos e condutas tomadas com os preceptores vem amplificando o meu conhecimento. Vivenciar o medo de se infectar, de transmitir, de estar devidamente paramentado, de estar tomando as devidas precauções, são fatos que nos assustam mas que ao mesmo tempo nos coloca na realidade que vamos enfrentar daqui para frente. É um cenário novo, que já exige mudanças e que certamente perdurará por um bom tempo. Tenho certeza que levarei sempre comigo esse momento de aprendizado, essa nova experiência. Poder vivenciar e aprender com os meus preceptores a qual fui designada está sendo de muita importância para o meu conhecimento pessoal e profissional”.

 

Isabela Evangelista, aluna do 11º período de Medicina

 

Como estamos com algumas atividades práticas presenciais suspensas, devido a pandemia, eu vislumbrei na adesão ao programa uma possibilidade de realizar atividades junto aos pacientes que eu julgo fundamental para a minha formação. Além disto, o Ministério da Saúde ofereceu alguns benefícios para quem aderisse ao programa e isso me incentivou também. As atividades realizadas dentro do programa estão agregando conhecimento sobre uma pandemia, em um momento em que poucos acadêmicos estão lidando com algo tão impactante. Além deste conhecimento sobre a pandemia, estou em contato com várias áreas da clínica médica, o que é um grande diferencial também. E por fim, ao lidar com os pacientes e com suas famílias, eu estou contribuindo com a sociedade, de forma empática, em um momento tão difícil.